ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Apple tem algo que a Microsoft quer — e que a Google também tem: a atenção do consumidor americano.

 

“Como notado pelo Deal Journal, a Microsoft já identificou a Google como o foco de sua vingança — seu Newman, se preferir. Todavia, enquanto a Microsoft se debruça sobre como achar uma aquisição que derrote a Google, corre o risco de esquecer que está lutando em uma guerra com duas frentes: não apenas contra a Google, mas contra uma poderosa rival, a Apple”, diz Heidi N. Moore em artigo publicado no blog do The Wall Street Journal.

Moore acha a Apple uma concorrente formidável para a Microsoft, com um bem documentado histórico de ameaças à liderança da Microsoft em propaganda, celulares e software. “A Apple tem algo que a Microsoft quer — e que a Google também tem: a atenção do consumidor americano. A introdução do iPhone mais barato de US$ 199 é comparável ao lançamento do iPod, que mudou o jogo, e encorajará as pessoas a comprar mais produtos Apple, escreveram analistas do [banco de investimentos] Thomas Weisel Partners”.

Em sua apresentação de abertura da última conferência anual da Apple para desenvolvedores na semana passada, observa Moore, o diretor-presidente Steve Jobs falou da expansão do iPhone no mercado corporativo. “Enquanto muitos vêem os planos da Apple para o iPhone como uma ameaça para o BlackBerry da Research In Motion, ele é uma ameaça também à Microsoft. Isso porque a Apple está desenvolvendo software para o iPhone e encorajando desenvolvedores independentes a fazer o mesmo. Uma vez que mais gente usa o iPhone e adota seu software, não faria sentido para o consumidor — e talvez para parte das empresas — mudar para a Apple para garantir compatibilidade?”

Isso sem mencionar outros erros cometidos pela Microsoft que acabaram beneficiando a Apple, lembra Moore. “Considere o fracassado Zune, um tocador musical concebido para concorrer com o iPod que passou de aspirante a estrela ao esquecimento em questão de meses. (Nâo totalmente surpreendente, claro, considerando que, ao melhor estilo Microsoft, o tocador inicialmente era incompatível até com o Windows Vista da própria Microsoft.)”

Mais detalhes no artigo completo de Moore.

No momento da finalização deste artigo nosso iTunes tocava:
Nação Zumbi, Carimbo
Tags:, , , , , , ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

18 comentários para “WSJ: obcecada pela Google, Microsoft ignora risco maior: a Apple”
  1. Rubens disse:

    Porque a Microsoft lutaria contra a Apple, se a própria é a maior acionista da Apple?

  2. Johnny Bravo disse:

    Rubens, se você conseguir provar o que está dizendo, dou-lhe meu iPhone de presente.

    Sugiro-lhe que se informe melhor antes de dar demonstrações públicas de que não sabe do que está falando. Pega mal pra você, rapaz.

  3. Antonio disse:

    Rubens a Microsoft comprou ações em 97 sem direito a voto e sem participar da diretoria da Apple, só para por Dinheiro no Apple em vista de um acorde para se encerrar um processo de patentes que corria há anos.

    Fazia parte desse acordo também a Obrigação de fornecer uma versão do Microsoft Office para Mac, o licenciamento cruzado de varias patentes e a inclusão do Navegador Internet Explorer para Mac que foi descontinuado na versão 5.3 e a partir do Tiger não era mais incluso Obrigatoriamente.

    A Microsoft cumpria o acordo produzindo Office 98, Office 2001, Office vX e Office 2004 sendo que o Office 2008 é a primeira versão do pacote de escritória da Microsoft que não é obrigado por acordo.

  4. Jorge disse:

    Caraca Antonio, não sabia dessa parte do Office, por isso que demorou tanto tempo? Será que a Microsoft estava pensando em abandonar o desenvolvimento do Office prá Mac assim como fez com o IE e o MSN? Bill Gates deve estar agradecendo aos céus por ter se aposentado em tempo!!

  5. Rubens disse:

    Bom, pelo que eu saiba, a Microsoft comprou várias ações da Apple, e ainda detém essas ações, ou seja, deu uma injeção de dinheiro na Apple, e estabeleceu alguns acordos. Mas continua sendo acionista, ou seja, se a Apple cresce, as ações da Microsoft na Apple também crescem, estou certo?

  6. Baboo disse:

    É preciso ter uma visão muito limitada em considerar a Apple como “concorrente” da Microsoft:

    1) 20% das vendas em lojas do Office são da versão para Mac

    2) 10% das vendas em lojas do Windows Vista Business e Ultimate são para usuários de Mac

    3) Se vc for na página do Get a Mac da Apple, adivinhe qual é o primeiro motivo que a própria Apple considera importante para alguém comprar um Mac ? Veja com os seus próprios olhos em http://www.apple.com/getamac/faq/ 🙂

    Quanto mais Macs vendidos, mais Windows sendo usados. Porque a MS estaria preocupado com a Apple ?? …

  7. Baboo disse:

    Rubens, a MS injetou US$ 150 milhões para evitar a falência da Apple em 1997 e comprou 150 mil ações da Apple, que foram vendidas em 2000 e 2001.

    Se a MS tem algum investimento na Apple (além do acordo dos US$ 150 mi) deve ser algo irrelevante, pois nada consta nos documentos do SEC.

  8. Rubens disse:

    Hum, não sabia que elas tinham sido vendidas, única coisa que eu sabia era que a MS tinha comprado várias ações e injetado dinheiro na Apple.

  9. F3L1P40 disse:

    Na minha opinião, o Windows ainda tem a sua força em razão do mercado corporativo, que investe em cópias oficiais do software e é moroso na troca de tecnologia de IT, em razão da burocracia interna, questões de segurança, robustez e curva de aprendizado dos usuários / pessoal interno de suporte. Por esta razão, não vejo a Apple conquistando este nicho de mercado, embora acredito que a provável penetração oficial do iPhone no ambiente corporativo mude este cenário daqui alguns anos. Sem dúvidas, Apple está em sua melhor fase como uma estrela ascendente, enquanto que a Microsoft tornou-se uma gigante vaca leiteira, comandada agora por um CEO com perfil de vendedor para espremer suas tetas até a última gota, enquanto que o grande líder Bill Gates busca novos horizontes em mercados emergentes como o de biotecnologia. Embora a fatia de mercado da Apple para PCs seja pequena, de fato gera receita para a MS pois seus usuários “compram” software, embora boa parcela da compra de Windows tende a diminuir com o tempo, devido a familiarização de uso do OSX pelo usuário. A Samsung poderá alavancar vendas do Windows Mobile e favorecer a MS, se conseguir ganhar o espaço da Nokia, já que jogou a toalha em competir com o iPhone. A minha dúvida é se o MobileMe conseguirá gerar receita que Windows Live até agora não conseguiu, através de uma assinatura anual. Se a Apple conseguir este feito através do iPhone, grandes surpresas virão.

  10. O comentário do leitor “Guilherme” (IP 189.72.18.254) foi apagado por ter usado e-mail falso para publicá-lo e também por ser potencialmente ofensivo a outro leitor.

  11. Claudio disse:

    “Quanto mais Macs vendidos, mais Windows sendo usados. Porque a MS estaria preocupado com a Apple ?? ”

    A derrocada começou… e é melhor você começar a pensar em outro emprego, por que o destino desse sisteminha de quinta… é o limbo hehehe.

  12. F3L1P40 disse:

    O CEO da Apple, Seteve Jobs, tem 91% de aprovação dos funcionários da empresa, a maior taxa de aprovação no mercado de tecnologia, alega um relatório.

    Michael Dell, CEO da Dell, tem 66% de aprovação, enquanto o chefe da Microsoft, Steve Ballmer, tem 55%.

    A mesma pesquisa revela que o CEO da Motorola, Greg Brown, tem somente 19% de aprovação, enquanto Jerry Yang, do Yahoo, tem 46%, e Sam Palmisano, da IBM, tem 48%.

  13. Baboo disse:

    Dois meses de vendas do Windows Vista foi suficiente para praticamente superar todas as instalações de Apple e Linux somadas no planeta, e mais de 90% dos computadores residenciais no mundo utilizam Windows.

    A Apple sequer tem 3% do mercado mundial, o iPhone é um nichozinho de mercado (enquanto ele vende 6 milhões de unidades, a Nokia vende 1 bilhão) e é divertido ver como muitos acham que tudo se move em torno dela e que a Microsoft está “sofrendo” 😉

    Um detalhe importante para vcs refletirem: na prática a Apple está se lixando para o sucesso do MacOS X, pois o dinheiro dela vem mesmo da venda de hardware. Hoje ela vende e fatura como nunca por causa disso – e não é à toa que “rodar Windows” é o principal argumento para ela vender o seu produto 😉

  14. Zumbi dos Palmares disse:

    Caro leitor,

    Não se engane: o que você leu acima é o ponto de vista de um representante oficial da Microsoft, que investiu tempo e dinheiro (talvez bastante) na própria qualificação como MVP da empresa de Bill Gates. Portanto, é natural de se esperar que defenda uma posição antagônica à da Apple, afinal ele tem que vender seu peixe.

    Todavia, felizmente o ponto de vista dele não representa o do mercado. Portanto, esteja vacinado contra as opiniões dele sabendo que não são imparciais, nem poderiam ser.

  15. F3L1P40 disse:

    Vamos lá Baboo, antes deixo claro que meu objetivo de carreira profissional é trabalhar como Retail Account Executive no Brasil, onde suas objeções e questionamentos contribuem, em muito, no meu treinamento para uma futura entrevista na Apple, obviamente:

    a) Você está retratando uma situação atual sustentada pela hegemonia do Windows no passado. Falta você mencionar, neste montante, a quantidade de software piratas instalados, comparar a % de usuários que migraram do Windows XP para o Windows Vista com a % de usuários que migraram do OSX Tiger para o OSX Leopard, além dos seus respectivos índices de aprovação. Faltou você explicar também porque Bill Gates afastou-se do comando da MS, deixando um vendedor no comando, já que a MS é tão próspera assim. Você não menciona o crescimento a onda de software livre rodando em PCs, comendo os aplicativos da MS pelas bordas: Thunderbird X Outlook, Firefox X Windows Explorer, Open Office x Windows Office, Google x Windows Live, dentre outros freewares. Nada melhor que comparar o comportamento da ações de ambas empresas nos próximos anos.

    b) A Apple ganhou market share nos últimos anos, quebrando o estigma do 3%, principalmente no mercado norte-americano. O iPhone tem apenas 1 ano de vida, e é o mais moderno e inovador aparelho do mercado, agora com um preço super competitivo. Será questão de tempo conquistar e superar os 1% planejados pela Apple no mercado mundial, enquanto que a Nokia luta com outros players asiáticos como a Samsung, LG e HTC,

    c) Sim, se o mercado futuramente piratear ou clonar o OSX, a Apple ainda terá seu hardware para sobreviver, seja na venda de notebooks, desktops, celulares, tocadores MP3, conteúdos do iTunes, dentre outros. Agora e a MS? O que ela tem de concreto, além do software? O Zune? O console de game? O Surface? Quem garante que os fabricantes de PCs não darão as costas para a MS quando surgir outro OS melhor e mais acessível? O Windows para a ser um aplicativo para o OSX do Mac, para atender às necessidades dos mais nostálgicos clientes.

  16. Baboo disse:

    Caro leitor, o Zumbi virou um bot 🙂

    Felipe, a pirataria está caindo ano a ano, uma vez que os computadores estão ficando muito baratos e já vêm com Windows pré-instalado. O nro de usuários que migraram para o Windows Vista é baixo pois para muitos não há motivo para isso, e leva-se em média 3 anos para se adotar um novo SO (com o XP também aconteceu isso: ele foi lançado em 2001 e a sua adoção em massa ocorreu com o SP2 em 2004).

    Bill Gates anunciou a sua saída da MS há muito tempo (Jun/2006) e na prática ele já foi substituído pelo Ozzie. Mesmo assim ele continuará dedicando 20% do seu tempo para a Microsoft, uma vez que o foco dele a partir do mês que vem é a filantropia.

    O SL está aí, é solução adotada por alguns, mas na prática não está impondo nenhum prejuízo à Microsoft. Se vc perceber, verá que a MS não perde dinheiro se o usuário utiliza o Firefox, Thunderbird ou se ele clica nas propagandas do AdSense. A MS deixaria de ganhar dinheiro se o Windows ou o Office deixassem de ser comprado – algo que não está ocorrendo, uma vez que a venda de ambos continuam crescendo. A MS inclusive se associou à Novell em relação ao SL justamente para também lucrar no mercado de SL…

    A Apple continuará crescendo, agora que ela se tornou mais uma vendedora de PC no mercado. O iPhone é um produto com o seu nicho, com a vantagem de ser altamente subsidiado. A Nokia se foca no mercado como um todo, e não em um mercado específico como o iPhone, e por isso ela domina e continuará dominando.

    A Microsoft lucra com Windows, Office, Games, serviços Live, e uma série de softwares. Zune, Surface e outros produtos são aposta no mercado, da mesma maneira que a Apple apostou em produtos que não deram certo. Isso é normal para qquer empresa.

    É sonho achar que alguém “dará às costas” ao Windows só porque há outro SO no mercado. Se fosse assim, o Linux estaria dominando, pois ele é “gratuito” e as suas aplicações idem. Pense bem: porque será que nem de graça ele conseguiu superar 1% do mercado mesmo tendo a cara do Windows (facilitando a migração), e sendo “mais seguro” e “mais rápido” ?!? E mais: porque com o MacOS X isso seria diferente ? 😉

    Enquanto vcs não compreenderem que o Windows é uma SOLUÇÃO COMPLETA e não um simples SISTEMA OPERACIONAL, vcs vão continuar achando que ele será substituído em massa por outro SO. Isso jamais ocorrerá da maneira que vcs imaginam, pois o mercado não é tão instável e ávido quanto vcs imaginam.

    O assunto é muito longo para ser discutido aqui, mas aí vai a ponta do iceberg: junto com o Windows exite um ecosistema mundial com dezenas de milhares de empresas que faturam no total alguns trilhões de dólares. Além delas, há milhões de pessoas que trabalham em empresas de hardware e software para a plataforma Microsoft que ganham no total outros trilhões. Quais seriam os motivos (pois precisa haver mais de um) para elas mudarem o seu foco de trabalho, abandonando o Windows ?

    Exemplos do mundo real: a IBM anuncia servidores com Linux, anuncia que apoia o Linux e é uma das mais ferrenhas defensoras. Mas poucos sabem que de cada 20 servidores que ela vende, 19 saem com Windows e apenas 1 com Linux. Mas isso ela não anuncia, né ? Ela também não fala que a “migração em massa” p/ Linux que a empresa começou a fazer em seus próprios desktops em 2004 e que não deu certo (e que isso é um assunto praticamente proibido ali hj em dia: http://www.linux.com/articles/33632) 😉

    BTW perceba que a Apple está se tornando mais uma empresa nesse ecosistema. Convenhamos que se o CD do MacOS X vem com drivers do Windows Vista 64-bits, são vcs que devem se preocupar com a Microsoft se aproximando da Apple – e não o contrário 🙂

  17. F3L1P40 disse:

    Baboo, o problema é que alguns PCs low end saem com o Linux de fábrica e o usuário instala depois uma cópia pirata do Windows em casa. Mas concordo contigo sobre a diminuição da pirataria.
    Correto, o foco de Gates é a filantropia, embora acredite que ele está estudando o mercado, levantando necessidades básicas e prioritárias do terceiro mundo e em países emergentes como educação e saúde, investindo também em biotecnologia e estudando uma população ou mercado que está for a dos radares do Google.
    O SL, embora ainda não tenha peso, segurança e a robustez necessária para rodar também no ambiente governamental ou corporativo, está sendo divulgado e estimulado ao uso pela classe acadêmica. Estudantes de engenharia tem uma opção de boot em seus PCs, para rodar Linux em trabalhos de grupo da faculdade, o que pode impactar futuramente o status quo.
    Verdade, a Apple irá crescer acima do seu antigo e estagnado market-share. O iPhone irá também instigar a curiosidade de seus usuários por outros produtos da linha Mac. Já a Nokia irá enfrentar a fúria coreana, que vem com tudo também no segmento automotivo.
    Sim, apostar, ganhar ou perder é uma realidade inclusive para todos nós. O que eu quero dizer é que hoje não há uma direção clara e objetiva para a MS, enquanto que a Apple tem um plano claro e atingível de expansão. Para os próximos anos.
    Também não acredito que o OSX irá se popularizar, mas existem projetos de inclusão digital com targets agressivos de preços de USD 100,00 por notebook, onde a aplicação de SL seria pertinente. Com a maior inclusão digital, a participação global de todos os softwares pagos seria relativamente menor.
    Você tem razão em parte, pois o mercado residencial é sim instável e ávido. Tanto que a pirataria reinou junto com os montadores de kits de PCs, tempos atrás. Agora o MS tem sim sua força no mercado corporativo, embora precise justificar e vender novos upgrades de software para dinheiro novo entrar em caixa.
    Correto, o Windows substituiu os antigos terminais mainframe da IBM há 20 anos atrás. Porém, qual garantia nós temos de que uma nova revolução não pode acontecer? Obs: Não estou falando dos Macs tomarem o lugar do PCs, embora o futuro seja móvel e a Apple está hoje melhor posicionada que a MS neste quesito.
    Certo, o Linux não emplacou, exceto em alguns meios acadêmicos. Eu também não rodaria SL, se fosse minha empresa. Algumas máquinas saem com o Linux só para colocar pressão na MS para abaixar a lincença, já que o povo pede Windows.
    Não vejo ameaça… Como a MS pode se apossar da marca Apple? Se hoje o Mac usa chip Intel, amanhã a Apple poderá lançar uma plataforma com um plus extra desenvolvido à 7 chaves pela PA Semi e com exclusividade da Apple. 🙂

  18. Baboo disse:

    Felipe:

    1) O brasileiro é first-adopter, e por isso ele sempre quer instalar o que há de mais novo no mercado. Como poucos têm dinheiro para isso e na prática as leis não punem os piratas, a pirataria aqui é maior do que a média geral. Ao invés do governo resolver essa questão de maneira correta (zerando o imposto sobre o Windows para versões baratas de PC, por exemplo), ele resolveu enfiar “goela abaixo” o Linux, achando que o usuário é otário. E na prática isso só incentivou a pirataria, pois 3/4 dos compradores dos computadores com Linux trocavam ele por Windows (pirata, obviamente).

    2) Gates “caiu na real”, viu que a vida não é só trabalho e aplicou muito bem o ditado “todos nós somos substituíveis”. Como qquer profissional bem-sucedido que pode se aposentar a qquer momento, ele resolveu mudar totalmente. Ele já passou dos 50, tem uma fundação com mais de US$ 100 bi para investir ($$ dele e do Buffett) e pretende se dedicar a ela. Pelo que eu soube, ele próprio está estudando o funcionamento do corpo humano a nível molecular para compreender um pouco mais as pesquisas e estudos patrocinados pela sua Fundação. Ele também está se dedicando ao etanol e ao bio-combustível e o próprio Buffett já havia declarado publicamente que “o maior projeto de Gates ainda está por vir”. Vamos ver o que virá …

    3) A Nokia está muito bem e pouco preocupada, pois ela atua em TODAS as áreas de celulares: do modelo mais barato vendido na índia, ao modelo mais caro vendido nos EUA.

    4) Na minha opinião o uso do iPhone não incentiva em nada o uso do Mac. O iPhone é um acessório engraçadinho em que tanto faz o SO dali, pois isso não influencia o seu funcionamento. Comprar um Mac é outra história.

    Eu conheço 4 pessoas que compraram o iPhone desbloqueado aqui no Brasil e trocaram ele pelo BlackBerry em menos de um mês. As reclamações foram as mesmas: é um aparelho bonito e útil (principalmente para brincar com fotos e fazer tudo com os dedos), mas um celular medíocre (péssimo sinal e poucas features se comparados com outros) que fica sempre com a tela suja por causa da necessidade de usar o dedo ali. Depois que a fase de “curtir o brinquedo” passou, eles trocaram por algo menos vistoso, mas mais eficiente.

    Mesmo o iPhone 3G ainda está muito longe do ideal. Veja em http://www.tgdaily.com/content/view/38007/118/ que até o fato do usuário não poder trocar a bateria influencia negativamente nele. Se vc trabalha 12-14h por dia, o que fará quando a bateria do seu iPhone acabar ? vc terá de mantê-lo sempre conectado em alguma tomada ou acendedor de cigarros como na época do Motorola PT-550 (e algo complicado se vc está sempre em movimento) ou terá que usar 2 aparelhos ? Isso é coisa básica que a Apple nunca pensou, pois o foco dela não é o mercado corporativo.

    5) Falar que não há uma direção clara e objetiva para a MS só pode ser piada. A MS tem milhares de clientes corporativos que precisam se programar com anos de antecedência qquer migração, e com isso ela tem um roadmap bastante detalhado para seus produtos. A Apple, por outro lado, esconde tudo até o último minuto – algo que já publicaram que ela precisa mudar urgentemente caso queira entrar seriamente no mercado corportativo.

    Exemplo simples: Em http://www.microsoft.com/windowsserver2008/en/us/roadmap.aspx vc tem o roadmap do Windows Server, mostrando que em 2008 será lançado o Windows Small Business Server codinome “Cougar”, em 2009 será lançado o Windows Server 2008 R2 e no dia 13/Jul/2010 acaba o suporte do Windows 2000 Server. Essa página está aí desde o ano passado, permitindo que empresas se programem com mais de 2 anos de antecedêcia. Cadê o roadmap dos produtos da Apple ?? O que ela lançará em 2008 ? E em 2009 ? Já que vc informou que ela tem “um plano claro e atingível de expansão”, me informe o link dela com as infos dos produtos que ela lançará até 2010.

    6) Por mais que a Apple queira dominar o mercado, hj ela não tem estrutura para isso. Ela consegue ser o que é hj pois ela tem apenas 3% do mercado. Se tivesse 30%, tudo mudaria: suporte, vendas, assistência técnica, SAC & afins. Lembre-se que vender software é uma coisa, e hardware é outra (muito pior) – ainda mais no mundo todo. Se ela quer dominar somente nos EUA, ok, mas isso limitará a sua abrangência e representa menos da metade do mercado mundial..

    7) A Apple pode lançar o que for, escondido “a sete chaves” ou não, pois o sucesso depende de diversos fatores e não apenas pelo fato de ser Apple. Aliás, lembre-se que mesmo depois de décadas no mercado de PC, ela tem ridículos 3% do mercado mundial e míseros 6% (*) nos EUA. Tecnicamente isso não é “sucesso” algum. A vantagem dela é que ela faz sucesso com seus MP3 player (que são responsáveis por 25% do lucro da empresa), um celular que chama a atenção, e vende computadores caros e bonitos. Ela aproveita muito a sua excelente imagem no mercado, pois ela está sempre na mídia, tem uma pessoa carismática no comando, produz produtos de boa qualidade e todos falam bem dela. Mas no fundo ela continua sendo o “Chiuaua dos 6%” 😉

    (*) Tecnicamente o market share nos EUA é muito menor do que 6%, por dois motivos:

    1) Muitos utilizam as informações de vendas publicadas pela NPD Group. O problema é que a NPD só considera as vendas em lojas físicas, desconsiderando as vendas online. Tradução: ela simplesmente ignora 100% das vendas da Dell, a maior fabricante de PC dos EUA e que vende 5x mais do que a Apple.

    2) Se a Apple vendeu 6,6% de todos os computadores produzidos, isso não significa que ela tem 6,6% do mercado, pois o mercado já utiliza centenas de milhões de computadores rodando Windows.

  19.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.