ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Recente surgimento do primeiro código malicioso para iPod, inadequadamente chamado de “vírus”, joga luz sobre a questão da segurança (ou da falta dela) intrínseca a um sistema operacional e expõe de modo definitivo a conhecida fragilidade do mito da segurança pela obscuridade atribuída à plataforma da Apple.

 

“Caso você não tenha ficado sabendo, há um vírus para o iPod. Isso mesmo, seu tocador de MP3 é uma verdadeira estufa de atividade virótica — mas apenas se você estiver rodando Linux no iPod e somente se você se empenhar em fazer o vírus funcionar, já que ele realmente não funciona. Podemos questionar se esse código realmente constitui-se em vírus, mas não é esse o ponto em que quero chegar”, escreve Paul Venezia em artigo para o InfoWorld.

O ponto onde Venezia quer chegar é o fato de que qualquer dispositivo eletrônico dotado de unidade central de processamento (CPU) pode tornar-se alvo de hackers e de criadores de vírus.

“Considerando haver apenas algumas centenas — talvez mil — iPods rodando Linux por aí, o fato de alguém ocupar seu tempo escrevendo esse vírus ou código malicioso é um exemplo do porquê estão errados os detratores da Apple que alegam que o Mac não é um alvo devido à sua baixa participação no mercado. Há duas semanas escrevi crítica contra o ‘Mês dos Bugs da Apple‘ denunciando o fato de que a maioria dos bugs encontrados eram explorações locais ou problemas em aplicações de terceiros e que nunca houve vírus para o Mac OS X tanto quanto não há para Linux. A diferença não está na participação no mercado, e sim nos alicerces dos sistemas operacionais. Considerando que a maioria dos hackers e autores de vírus é motivada pelo ego, não acha que há um imenso incentivo em ser o primeiro a escrever um vírus que afete amplamente o Mac OS X, o Linux ou o FreeBSD?”, questiona Venezia.

Ele observa que, assim como uma casa erguida sobre terreno instável tende a ruir, um sistema operacional escrito sobre alicerces inseguros tende a ser intrinsecamente inseguro, não importa quantas camadas de soluções de segurança sejam implementadas por cima. “É nessa posição que a Microsoft está agora. Era nessa mesma posição que estava a Apple no fim do século passado. Ela decidiu recomeçar do zero fornecendo um claro caminho para o upgrade e dando suporte a aplicações antigas na nova plataforma. O Mac OS X foi desenvolvido a partir do BSD e do NeXT, construído sobre uma plataforma que data de vinte ou mais anos atrás e com o código-base do sistema livremente disponível para download, ainda assim não hove nenhuma significativa vulnerabilidade de segurança no OS X. Isso não se deve à sua participação no mercado nem à falta de atenção, e sim à criação de código e desenvolvimento adequados. Isso não quer dizer que não há fendas na armadura da Apple — elas definitivamente existem —, mas a fundação é sólida, por isso é improvável que tais fendas consigam afetar a coisa toda. O mesmo é verdadeiro para o Linux e a maioria dos sistemas operacionais derivados do Unix”.

Segundo Venezia, os sistemas operacionais da Microsoft começaram a ser desenvolvidos sem qualquer preocupação com segurança. “Do Windows 95 ao ME houve variados níveis de segurança superficial baeada em senhas em algum ponto, mas essa segurança não estava distribuída dentre as diversas camadas de todo o sistema, como no Unix. Não eram ambientes multi-usuário, portanto a segurança nos processos comuns não era vista como um problema e explorações remotas surgiram em todo lugar, já que os sistemas não foram feitos para uso em rede. A base NT do Windows 2000, XP e agora do Vista fornece um modelo de segurança muito melhor e tem algumas raízes multi-usuário, mas tem que carregar o fardo da compatibilidade com código escrito para a base original totalmente insegura do Windows 95. Colocando as coisas de forma simples, a Microsoft teve a chance de levar a Apple a nocaute e dar um salto gigante em 1997 se tivesse matado a plataforma Win32 existente em favor de um modelo baseado no NT cliente e servidor que não tivesse que rodar nativamente aplicações antigas. Ela não o fez e ainda estamos pagando o preço por isso hoje. Mesmo que você não use um sistema operacional da Microsoft, a maior parte do spam que chega à sua caixa postal vem de sistemas Windows zumbis sob controle de spammers.”

Venezia, por outro lado, faz questão de dizer que não cai na história de que usuários de Mac são ovelhas e os de PC são lobos. “Você não teria me visto perto de um Mac antes do OS X. Eu não gostava da interface, não gostava do hardware e certamente não gostava da pilha do IP. Ele era ótimo nos anos 80 e no início dos 90, mas na época em que o Mac OS 9 foi lançado era uma piada. A grande maioria dos recursos foram remendados com fita adesiva e colados na colcha de retalhos. A Apple tinha que refazer o OS inteiro. Ela o fez, com uma grande ajuda do código público experimentado ao longo de décadas e provado como sendo seguro e estável. A Microsoft não. Ela foi confrontada com explorações em massa, como a vulnerabilidade ANI. Isso afeta todos os sistemas operacionais da Microsoft, dando-nos um vislumbre sobre o código compartilhado por gerações dos sistemas da Microsoft, e a visão não é bonita.”

Venezia termina seu artigo citando adágio popular no mundo da informática que diz: “Quem não entende o Unix está condenado a reinventá-lo, miseravelmente.”

Mais detalhes no artigo completo de Venezia.

Bookmark and Share
Tags:, , , , , ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

3 comentários para “Saiba porquê o Mac OS X é intrinsecamente mais seguro que o Windows”
  1. O mito da “segurança pela obscuridade” é um mecanismo de defesa criado pela desiludida mediocridade abundante no mundo Windows. Certamente não se pode dizer que é “obscura” uma plataforma composta por mais de 22 milhões de sistemas Mac OS X em uso, sem mencionar os mais de seis anos em que os usuários dessa plataforma navegam livre e despreocupadamente pela Internet sem que nunca tenha havido qualquer relato de sistema significativamente afetado por vírus ou outro código malicioso (igualzinho ao que ocorre no inferno astral do Windows, não?). A única coisa que afeta o usuário de Mac é o comboio de comprometidas máquinas Windows causando lentidão na Internet com spam e nefasto tráfego de bots dedicados a encontrar mais sistemas Windows inseguros. Saia dessa vida, compre um Mac!

  2. Mariana disse:

    Estabilidade, segurança, conforto, interface, velocidade, sofisticação, projeto, design, elegância, navegação segura, internet segura, email seguro = Mac OSX.

  3. O comentário do leitor “JACK SQUASH” foi apagado por ter usado e-mail falso para publicá-lo (JACKSQUASH@SQUASH.COM).

  4.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.
Get Adobe Flash player