ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Desajeitado, decepcionante, fracasso, frustrante, deselegante, desconfortável e lento são só alguns dos adjetivos usados por PC World, Engadget, Gizmodo, Chicago Tribune e revista Time para descrever o novo concorrente do iPhone.

 

“Os fãs do BlackBerry que vinham implorando por um aparelho baseado em tela sensível a toque à la iPhone agora têm um, mas o BlackBerry Storm — que a Verizon Wireless planeja começar a vender nesta sexta-feira por US$ 250 com contrato de dois anos — pode não ser o smartphone de seus sonhos”, diz Yardena Arar em artigo publicado no site da revista PC World.

“A decisão da Research In Motion de diferenciar o Storm dando à sua tela capacitiva sensível a toque um componente mecânico (a tela inteira funciona como um botão para confirmar seleções ou iniciar ações) acaba sendo mais confusa do que útil. Na pior das hipóteses, a interface sensível a toque do Storm parece uma experiência que falhou”, critica Arar.

Arar prossegue explicando que o Storm tem GPS e Bluetooth, mas não tem Wi-Fi. “A interface sensível a toque do Storm o diferencia de seus irmãos da RIM — e é nisso que fiquei decepcionado. (…) Achei o Storm desajeitado para usar com tarefas do dia a dia que requerem entrada de dados. (…) Em meus testes, as coisas às vezes não funcionaram. (…) Eu tocava em um ítem do menu, por exemplo, mas quando pressionava a tela, a seleção às vezes pulava para um ítem diferente, que era então executado. Às vezes era difícil perceber qual era a ação requerida. (…) A rolagem geralmente era lenta também”.

Arar também não achou graça na tafera de digitar texto no Storm. “Você tem que clicar [pressionar a tela] no teclado da tela para cada tecla (as teclas piscam em azul sob seus dedos quando são clicadas), o que acaba parecendo ser muito trabalho, diferente dos teclados físicos (ou o do iPhone, por exemplo)”.

Arar conclui dizendo que quem esperava por uma alternativa séria ao iPhone fortalecida pela marca BlackBerry, consagrada como ferramenta de trabalho móvel, provavelmente vai achar o Storm uma decepção. “No que diz respeito a interfaces sensíveis a toque, a Apple ainda não tem concorrência”.

Muito mais detalhes, incluindo vídeo no qual Arar chama o teclado virtual do Storm em tela mecânica de “o pior de dois mundos”, no artigo completo de Arar.

“Ao contrário do iPhone, o qual certamente é o concorrente mais próximo deste celular, a interface do Storm não é apropriada para navegação por toque (…). Coisas que fluem naturalmente no iPhone — rolar listas, procurar contatos, mover-se por entre uma página web ou localizar fotos — parecem deselegantes e desconfortáveis no Storm. Não há inércia no movimento, nenhuma garantia de que seu dedo é o instrumento que controla o aparelho. A tela é bem sensível, sim, mas o modo como o software reage aos toques faz toda diferença e aqui a impressão é a de que você nunca está totalmente no controle do celular”. opina Joshua Topolsky em artigo publicado no Engadget.

Ele observa que a tônica da nota da RIM à imprensa do lançamento do Storm é a de que a nova tela clicável sensível a toque é a solução dos sonhos de todo usuário de aparelhos de mão — “mas nada poderia estar mais distante da verdade”, avalia Topolsky. “Ao invés de facilitar as coisas, o clique na verdade as dificulta. Conforme você pressiona a tela para acionar uma ‘tecla’, é requerido que você a solte para poder selecionar outra, significando que você nunca poderá digitar rápido. Em nossos testes, ficamos constantemente frustrados com os movimentos lentos e vacilantes que tínhamos que fazer para digitar as coisas em qualquer velocidade. Você é obrigado a esperar a tela voltar ao lugar antes de poder selecionar outro caractere e isso torna o processo gaguejante. Além do mais, o pairar sobre um caractere é representado por um sinal em azul, que parece legal durante os movimentos, mas na prática não funciona bem para fazê-lo saber em que tecla você está tocando. Cometemos erros de digitação em abundância. Tudo isso poderia ser bastante melhorado através de um componente de software inteligente que adivinhasse o que você tem a intenção de digitar — tal como no elemento preditivo do iPhone. Infelizmente, o que a RIM oferece está mais para um T9 glorificado, o que significa que, se você digitar ‘ey’, ele não sabe que você tinha a intenção de digitar ‘eu’. (…) Se velocidade não é uma preocupação, talvez você consiga lidar com isso, mas para viciados em BlackBerry e os acostumados à digitação no iPhone, isto será uma decepção”.

Sobre a maciça campanha publicitária feita nos EUA em torno do lançamento do Storm, Topolsky diz: “A única falha nesse plano é grande: usar o Storm não é tão fácil, agradável ou consistente quanto o iPhone. E o que deveria ser seu grande diferencial — a tela clicável — não é nada de espetacular. (…) Parece algo inacabado — e isso não é suficiente para nós”.

Muito mais detalhes, vídeo inclusive, no altamente recomendável artigo completo de Topolsky.

“Ele é surpreendentemente pesado, mais que o mais pesado dos BlackBerries, o Bold. (…) Parece grosso também, mais do que é na verdade, por causa de suas formas quadradas. (…) Não ter Wi-Fi é horrível. (…) O maior problema com a interface, pelo menos na área principal do menu, é que ela é lenta. Tipo, o suficiente para ser irritante. A lentidão da rolagem para baixo do menu principal parece deliberada (não sei porquê), e essa vagarosidade se transforma em movimentos espasmódicos com relativa frequência. As transições de tela para tela, além de serem inconsistentes (algumas vezes compreensíveis, outras não), fazem o sistema operacional parecer ainda mais lento. Nessas circunstâncias, isso se torna ainda mais frustrante porque faz você desconfiar da resposta [do sistema de clicar a tela] — nada bom para ser o principal argumento de venda do produto”, condena Matt Buchanan em artigo publicado no Gizmodo.

Buchanan diz também que a lerdeza descrita nesses exemplos é encontrada em todos os pontos da interface, o que é um “pecado cardinal” em se tratando de interface sensível a toque, desabafa ele. “Odeio dizer isso, mas detestei digitar nele. Apertar a tela repetidas vezes requer muito mais esforço do que simplesmente deslizar meus dedos por um bom teclado sensível a toque. É cansativo.”

Para Buchanan, o Storm “não é bem o celular matador que [a RIM] ou a Verizon precisavam que fosse. (…) Acredito que não cumpre o que promete e todo o auê feito em torno do [sistema de pressionar a tela] acaba levando as pessoas a esperar mais do que essa tecnologia de sensibilidade a toque pode oferecer — não é sequer nenhum passo evolucionário”.

Muito mais detalhes no artigo completo de Buchanan.

“Navegar na interface [do Storm] pode ser enfadonho. Os controles sensíveis a toque do Storm não se comparam aos do esperto iPhone. (…) Navegar no Storm é um desafio, pois o software do BlackBerry foi concebido para ser usado com trackball ou disco de rolagem, aspecto no qual a RIM quase não promoveu mudança alguma na interface. Exemplo: quando se quer responder a um e-mail, pressiona-se a tecla do menu para trazer a familiar lista de opções. O botão Reply está entre Salvar e Encaminhar, ambos os quais pressionei por engano repetidamente graças ao frustrante back-tracking“, testifica Eric Benderoff em artigo publicado no site do jornal The Chicago Tribune.

O teclado usa uma tecnologia chamada SurePress, também conhecida como “digitação clicável”, para simular a impressão de um teclado virtual, observa Benderoff. “A princípio, achei que ia quebrar a tela do celular ao digitar. Conforme fiquei mais habituado, minha digitação começou a ficar mais precisa. Mas não é uma abordagem tão boa quanto a do iPhone o a de um teclado físico”.

Mais detalhes no artigo completo de Benderoff, intitulado “BlackBerry Storm não pode concorrer com o iPhone”.

“Detestei a tela clicável e, do punhado de pessoas a quem pedi que experimentassem [o Storm], ninguém teve nada de bom a dizer. (…) O problema em ter que pressionar a tela inteira cada vez que você digita uma letra ou confirma uma escolha do menu é que isso torna você lento. (…) Além do mais, a tela escorrega dentro do corpo do aparelho quando pressionada, o que lhe dá uma impressão de coisa barata”, avalia Anita Hamilton em artigo publicado no site da revista TIME.

Mais detalhes no artigo completo de Hamilton.

Artigo relacionado:

 

Tags:, , , , ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

7 comentários para “Novo BlackBerry Storm é reprovado em múltiplas avaliações”
  1. Ipso Facto disse:

    Mas que bela estréia, né RIM?

    Então é com isso que você pretende enfrentar o iPhone? Fala sério!…

  2. Lucas (luke) disse:

    iPhone G3 (não 3G) chegando em julho…

    Quando alguém lançar um competidor à altura, a Apple já vai estar espalhando pelo mundo notícia de seu novo iPhone, com novo processador desenvolvido com a P.A. Semi e Papermaster (o ex-IBM), câmera melhor (e que grava vídeos), um sistema operacional cuja interface é levemente redesenhada, copy-and-paste, e tudo mais que o povo queria… Sem falar que os apps nesse novo iPhone serão capazes de mais graças ao hardware mais potente e OpenCL (foi confirmado que ele pode ser escalado para aparelhos móveis).

    Só pra deixar todo mundo no chinelo…

  3. Johnny Bravo disse:

    Mesmo assim, teve fila na porta das lojas da Verizon para comprar essa porcaria.

    Ô povinho…

  4. […] a quase 4000 mil reais e sem Wi-Fi, ai é pra acabar… não precisa nem falar qual foi o destino dele, não é? Sei lá qual é a estratégia das empresas na hora que eles deixam de colocar algum […]

  5. Jorge Mendes disse:

    Bom pelo menos o blackberry nao oferece capas para funcionar a rede do telefone…
    Tambem devemos estudar o uso do aparelho.. Blackberry é aparelho para executivo, corporativo. Ler e responder emails, plataforma segura…
    Não ha comparaçoes entre Iphone e BlackBerry.
    Eu particularmente possuo os dois… Um Storm e um Iphone 3Gs
    Blackberry tem diferenças entre Iphone, e essas diferenças sao simples, basicos 16 anos a mais de experiencia em telefonia corporativa…
    É como querer comparar a aplicaçao de leis Brasileiras as Leis inglesas…

  6. Jorge Mendes disse:

    Comentario sobre Wi-fi…
    Quem usa um aparelho desses nao precisa de Wi-fi…
    Basta assinar um pacote de dados que na maioria das vezes os usuarios destes aparelhos ja possuem.
    Se voce é pré pago nao use um blackberry…

  7. Luis disse:

    O STORM é um desastre total. Depois de um ano as teclas não funcionam mais !

  8.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.