ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Num ambiente computacional no qual os perigos são virtualmente inexistentes, recomendação da Apple parece concebida para proteger-se das ameaças jurídicas mais do que das virtuais.

 

Por MARCELO TODARO
Editor

Em 21 de novembro de 2008 a Apple publicou na área de suporte de seu site artigo em que recomenda “amplo uso de múltiplas aplicações antivirus” no Mac.

O artigo da Apple tem recebido uma cobertura da mídia tão ampla quanto o uso de antivirus recomendado pela empresa no artigo. Ávidos por manchetes, alguns assim chamados “jornalistas” aproveitam a deixa para afirmar que a própria Apple está derrubando o “mito” de que o Mac é imune a virus.

Ao invés de citar artigos escritos em PCs/Windows sob a égide da Mac-ignorância, vejamos o que a Apple disse:

A Apple encoraja o amplo uso de múltiplas aplicações antivirus, de modo que os programadores de virus tenham mais de uma aplicação para contornar, tornando o trabalho de criação de virus mais difícil. Eis alguns utilitários antivirus disponíveis:

Três aplicações comerciais (pagas) são então citadas: Intego VirusBarrier X5, Symantec Norton Anti-Virus 11 for Macintosh e McAfee VirusScan for Mac, as duas primeiras disponíveis para venda na loja online da Apple. Ela observa, porém, que a citação desses produtos não significa que os esteja recomendando ou endossando.

Curiosamente, no subtítulo do artigo ela cita um certo artigo anterior n° 4454 que não se pode achar em canto algum do site (se você descobrir onde está, por favor, divulge o link nos comentários. Obrigado).

Agora, meus dois tostões:

Não uso antivirus em meu Mac, minha mulher não usa no dela, não usamos aqui na redação e não pretendemos fazê-lo tão cedo. Assim como nós, a grande maioria dos usuários de Mac prefere guardar para si a memória e os preciosos ciclos de processamento que tais aplicações consumiriam.

Atualmente, fora dos laboratórios de pesquisa (especialmente, não por acaso, os dos fabricantes de antivirus), há raros exemplares de malware para Mac à solta. Quando surge algum, é com grande intervalo de tempo em relação ao anterior.

Esse artigo da Apple nos parece mais uma precaução, não contra as quase inexistentes ameaças virtuais para Mac, e sim contra as ameaças jurídicas mais tangíveis de usuários que, no país dos advogados, podem alegar que “não foram avisados” caso algo dê errado por causa de sua própria imperícia e/ou imprudência. Em outras palavras, o artigo tem cara de “just in case” em um ambiente comercial altamente litigioso como o dos EUA.

As ameaças contra as quais o usuário de Mac precisa estar alerta são os cavalos-de-tróia, ou “trojans” — projetados para enganar o usuário para que lhes conceda permissão para rodar —, e ataques baseados em websites que exploram vulnerabilidades em aplicações, e não no Mac OS X em si.

Independente do que fazemos com nossos Macs, o usuário que deseja ter paz de consciência e seja avesso a riscos ou não saiba como clonar discos rígidos, restaurar backups do Time Machine ou não esteja familiarizado com outras técnicas de recuperação de dados, deve seguir o conselho da Apple e usar “múltiplos utilitários antivirus”. E, como sempre, vale aquela velha recomendação: nunca digite sua senha de administrador para instalar software desconhecido e/ou de origem suspeita. Se há alguma chance de manter-se imune às tentativas de ataque dos criminosos virtuais, seja qual for a plataforma, é essa.

Vale a pena também dar uma boa lida nos seguintes artigos:

[ATUALIZAÇÃO às 21:00 h]: O “artigo anterior n° 4454″ foi encontrado. Está aqui e foi originalmente publicado em junho de 2007. Nota-se que nele a Apple diz exatamente o mesmo que no artigo recente, ou seja, recomenda o “amplo uso de múltiplas aplicações antivirus” no Mac. O artigo atual nada mais é que uma atualização do anterior cujo propósito é refletir as versões atuais dos produtos da Symantec e da Intego.

Em outras palavras, nos últimos 18 meses a Apple não mudou suas recomendações em rigorosamente nada, para decepção dos que se alegraram com a vã esperança de que o Mac viesse fazer companhia ao PC/Windows no limbo da segurança computacional.

Malware para Mac é distribuído quase exclusivamente via engenharia social. Portanto, por favor, não instale codecs de vídeo desconhecidos baixados de sites pornográficos nem nada de origem assim suspeita. Só aceite a instalação de software comprovadamente seguro e de fonte conhecida.

 

Bookmark and Share
Tags:, , , , , , , ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

13 comentários para “O que há por trás da recomendação da Apple de usar ‘múltiplos antivirus’ no Mac”
  1. Lucas (luke) disse:

    É, a Apple só fez isso pra não ser processada caso algum vírus saia de repente (improvável) pra não ser processada. De novo.

  2. mrt disse:

    Podem começar com as desculpas…… ai isto ai aquilo…. num é bem assim…..

  3. Johnny Bravo disse:

    Ah não? Então é como, ó gênio da lâmpada das terras d’além mar?

    Favor embasar suas alegações com provas, e não com nhenhenhém. Onde estão os vírus e malware para Mac?

    Vamos lá, estou esperando!

  4. Lucas (luke) disse:

    Desculpas? Isso não é desculpa, é fato.

    “AAAAAAAAAAIIIIII, EU OUVI MÚSICA ALTO DEMAIS POR MUITO TEMPO SEM USAR O LIMITE DE PROTEÇÃO DO iPOD E FIQUEI SURDOOOO!! VÔ PROCESSA A APPLE!!!

    ou então:

    “UUUUUUUIIIII, FUI ATINGIDO POR UM RAIO ENQUANTO OUVIA MÚSICAAAA!!!! COMO AS QUEIMADURAS PIORES FORAM AS DE ONDE O IPOD TAVA PERTO, A CULPA É DELE! VÔ PROCESSÁ A APPLE!!”

    ou:

    “Meu iPhone3G não tem 2x a velocidade do meu 2.5G pq a rede da AT&T é podre. Mas vamos processar a Apple ao invés da AT&T!!!”

    Nos EUA, essas coisas acontecem ¬¬

  5. Zumbi dos Palmares disse:

    Asneiras de fanboys lusitanos da Mickeysoft à parte, o fato é o seguinte:

    O risco de virus em um Mac é virus de macro em documentos do Word/Excel. Esses virus são multiplataforma. Quem tem Mac e troca muitos documentos de Word/Excel com PCs/Windows, pode facilmente infectar PCs (não Macs) sem saber. Com o relativo sucesso do Mac no mundo corporativo, executivos podem se tornar propagadores de virus em uma empresa e o Mac sairia queimado da história. Nesses casos, o uso de antivirus no Mac é altamente recomendado.

    Melhor ainda é configurar o Word e/ou Excel para perguntar toda vez que se abre um documento com macros. Aliás, no Office 2008 é impossivel executar macros, mas pode-se passar os virus adiante.

  6. Bruno disse:

    @Luke: e os imbecis que compram músicas de livre e espontânea vontade na iTS sabendo que elas só funcionam em iPods e processam a Apple por ela colocar o DRM que não deixa elas tocarem em outro player? DRM é exigência das gravadoras, não idéia da Apple!!!

  7. Victor disse:

    Zumbi,

    Eis aí um motivo a mais para não usar o Office. Há ANOS que não o uso mais e não sinto falta nenhuma dele. Só uso o OpenOffice.

  8. Daniel Carlos disse:

    MRT, mostra pra mim um vírus de Mac que realmente seja perigoso, e que entre no MAC sem consentimento do usuário, e eu dou meu MAC pra você… bom, ter até tem, mas só afeta o Mac se ele estiver rodando Windows!!! É o preço que se paga por permitir sistemas operacionais estranhos no nosso Hardware…

  9. 01 disse:

    Falando em Office…. tenho vivido muito bem somente com o iWork nos últimos dois anos… Não sou hard user, mas controlo meu fluxo de caixa e monto os orçamentos e apresentações nele…. sem nenhum problema e livre dos Macros… melhor do que instalar um Anti-Virus.

    Outro dia estava em uma AT de um amigo e lá havia um MacBook de um cliente com um antivirus instalado… não preciso nem dizer como era chato usar aquele mac, que toda vez que um CD era inserido ficava lá, lendo os dados em busca de virus e me impedindo o acesso, fora que o aplicativo não oferece opção de ser fechado…. fala sério… não é assim que deve ser a experiência com um computador…

    Enquanto eu puder, não usarei um anti-virus aqui, até pq, mesmo se por um acaso eu transmitir um virus de PC e isso prejudicar outro usuário, então vou considerar merecido que este usuário seja infectado, já que é inconcebível imaginar um Windows sem anti-virus….

  10. Lucas (luke) disse:

    É, Bruno, e a lista não pára aí…

  11. [...] O que há por trás da recomendação da Apple de usar ‘múltiplos antivirus’ no Mac [...]

  12. [...] O que há por trás da recomendação da Apple de usar ‘múltiplos antivirus’ no Mac [...]

  13. F3L1P40 disse:

    Só sei que instalei há alguns meses atrás, somente como curiosidade. um antivírus no meu Mac depois de 3 anos de uso e o resultado foi zero de pragas virtuais. Paralelamente perdi as contas do tempo gasto rodando AVG, Spybot e da quantidade de pragas encontradas nos meus PCs. Desde então, abandonei-as definitivamente.

  14.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.
Get Adobe Flash player