ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Após ter seus contra-argumentos rejeitados pelo juiz do caso, clonadora de Macs insiste que licença do Mac OS X é uma ameaça por deixar que a Apple tenha absoluto controle sobre o hardware e facilita a capacidade da Apple de abusar da lei de copyright.

 

“A Psystar, a agora bem conhecida clonadora de Macs da Flórida, mudou o argumento de seu contra-ataque à Apple para eliminar algumas de suas arriscadas afirmações de comportamento anticompetitivo, mas adicionou novas seções em que refuta alegações de violação de copyright”, informa Aidan Malley em artigo publicado no AppleInsider.

Segundo ele, caso a justiça da Califórnia autorize a modificação da defesa da Psystar no processo movido pela Apple contra ela, a clonadora de Macs omitirá as alegações de abuso de monopólio de copyright pela Apple rejeitados pelo juiz, de cuja interpretação a Psystar “respeitosamente discorda”.

“Todavia, a montadora de PCs mantém que o copyright ainda está no âmago do problema. A Psystar insiste que as políticas da Apple referentes ao Mac OS X são consideradas abusivas sob o conceito legalmente reconhecido da ‘doutrina do abuso’, que impede que o copyright seja usado para manter a concorrência fora de quaisquer termos oficiais sancionados. Assim, não é necessário apresentar prova específica de violação das leis antitruste, argumenta a empresa. Ao invés, o que importa é só o espírito da lei refletida nas políticas públicas. O acordo de licenciamento ao usuário final da Apple (EULA) é visto como uma ameaça por deixar que a Apple tenha absoluto controle sobre o hardware — componente não coberto pelo Copyright Act que se baseia amplamente em software — e facilita a capacidade da Apple de abusar da lei de copyright, mesmo que não viole leis antitruste específicas”, relata Malley.

A Psystar também acha que o argumento se estende à acusação de violação do Digital Millennium Copyright Act (DMCA), adicionada pela Apple contra ela no processo depois que a Psystar teve seu contra-ataque rejeitado pelo juiz, diz Malley. “Onde a Apple está convencida de que a Psystar está violando a lei ao rodar o Mac OS X em hardware não autorizado, esta insiste que a compatibilização de hardware como o seu com o Mac OS X não é uma violação e que a Apple está indo muito além das fronteiras do copyright ao sugerir isso”.

Mais detalhes no artigo completo de Malley.

[ATUALIZADO às 12:30 h]: “Em sua última salva legal contra a Psystar, a Apple sugeriu que a fabricante de clones do Mac está recebendo apoio de uma ou mais partes silenciosas. E, neste ponto, é melhor mesmo que esteja, pois haverá uma imensa quantidade de dinheiro a ser paga quando a Apple for vitoriosa, independente do quanto a Psystar modifique seus argumentos originais. Com suas alegações antitruste contra a Apple rejeitadas, a Psystar [ontem] renovou suas acusações de abuso de copyright contra a Apple, alegando que o Mac OS é concebido para entrar em kernel panic se perceber que está sendo usado em hardware não Apple”, diz John Paczkowski em artigo publicado no site do The Wall Street Journal.

Paczkowski acha a alegação interessante, porém arriscada, pois com ela a Psystar confessa que violou as medidas tecnológicas de proteção de copyright embutidas no OS X. “A Apple acusa a Psystar de tê-lo feito ilegalmente, em violação ao Digital Millennium Copyright Act (DMCA). A Psystar diz que isso é impossível, pois o código que força o kernel panic em questão não é uma medida de proteção de copyright”.

Paczkowski se pergunta quem estará com a razão. Ninguém sabe. “Mas, se for a Apple, a Psystar presumivelmente é culpada de violar os sistemas de proteção de copyright da Apple sob o DMCA. E isso é um crime capital, pois a Psystar lucrou com a violação”.

Mais detalhes no artigo completo de Paczkowski.

Artigos relacionados:

 

Tags:, , , ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

17 comentários para “[ATUALIZADO] Psystar desiste de argumento antitruste e opta pela ‘doutrina do abuso’ contra Apple”
  1. Fernando disse:

    A Psystar está desenvolvendo um Portable Open Computer. Nada ainda está definido e não tenho mais informações. Ainda não se sabe a data do lançamento.

    Hoje entrei no chat e aguardei para falar com um antendente. O suporte é melhor que o da Apple, ao menos parece. Perguntei sobre portateis e a unica coisa que o antendente soube me informar foi que eles estão desenvolvendo um notebook, mas não sabia a configuração e nem a data de lançamento. Foi a unica informação que obtive deles. Isso não é um rumor, aconteceu mesmo.

    A configuração dos computadores da Psystar não é ruim e eles são muito mais baratos em configurações fracas, já nas fortes o Open Computer (como são chamados pela Psystar) é pior que o iMac e mais caro. Isso pensando se for um Open with Mac OS X. Caso seja um OpenPro With Mac OS X, ai ele é mais barato. Segundo o pessoal do suporte, em tradução ao pé da letra, o Mac OS X roda “impecavelmente”. A Psystar também oference computadores com Windows XP e Vista e com Linux. Eles enviam para outros paises também. Mas o sistema NÃO interage com o hardware como funciona num Mac de verdade.

  2. aLx disse:

    Interessante… será q a próxima briga da Apple será com o pessoal da EFI-X?

  3. Knux disse:

    impossível… EFI-X é um padrão aberto da intel e seu uso não se restringe aos macs… desde o itanium é usado na chamada alta-plataforma.

    existe até uma aliança para promover seu uso. procure na wikipedia e terá mais informações.

  4. Knux disse:

    perdão… eu disse EFI-X, mas quis dizer EFI

    EFI é um padrão da Intel usado desde o Itanium e o EFI-X nada mais é do que uma implementação desse padrão para funcionar pela USB. Quando muito, o cara que inventou isso será contratado pela intel, porque é um gênio.

    a apple nada pode fazer, uma vez que o EFI não é dela e imagino que tentar inibir um desenvolvedor deve ir diretamente contra os termos de desenvolvimento e uso.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Extensible_Firmware_Interface
    http://en.wikipedia.org/wiki/EFI-X

  5. F3L1P40 disse:

    Isto não vai parar, pelo contrário… cada vez mais existirão clonadores de Macs pipocando em todo lugar, como por exemplo aqueles da Argentina e Itália. Esqueça o sistema jurídico, este é muito moroso, prostituído, subjetivo e que varia em cada país. A Apple não pode perder tempo e precisa urgentemente desenvolver algum hardware criptografado que hipocritamente (sim, chumbo trocado não doi) justifique um ganho na performance geral do produto, mas que na verdade tenha como razão de existir a inibição definitiva da ação destes clonadores. Pessoalmente acredito que a aquisição da PA Semi tenha também este propósito, já os engenheiros são experts em criptografia para sistemas militares. Acredito também na recente colocação que estes clonadores são marionetes de rivais maiores da Apple.

  6. Daniel Carlos disse:

    A Psystar entrou numa briga que não pode ganhar sem ter motivos. Na boa, se a questão é ter a segurança e a bela aparencia do Mac OS Leopard, porque ela não vende seus pcs com gOS Spaces??? É seguro e bonito como o Leopard, mas é gratuito, pois é Linux!!! Evitaria tanto constrangemento pro lado da Psystar!!! O legal é que ele vem com Beryl/XGL/Compiz/Whathever que dá os efeitos mais bonitos já vistos em toda a história da informática!!! O unico problema é q Linux é mais complicado pra instalar programas…

  7. F3L1P40 disse:

    Pois é, se a questão fosse somente a sobrevivência da Psystar, sua sugestão (Daniel) seria uma possível saída legal para a empresa, e bem mais barata do que insistir em utilizar o OSX, aproveitando a atual situação de evidência para divulgar “de graça” o lançamento de sua nova linha de PC com Linux, qual provedor de software em ambiente Linux não pegaria carona nesta polêmica dando suporte à eles nos drivers e user interface. Mais um ponto que me leva a pensar que a razão de existir da Psystar está além da venda de PCs rodando OSX. Caso eu fosse um concorrente da Apple neste mercado, usaria a Psystar e outros clonadores de forma a pressionar, obviamente, as margens de lucro para baixo dos produtos da Apple, reduzindo sua velocidade de fabricar caixa.

  8. Knux disse:

    felipao:

    bebeu gasolina?! você não tem a menor idéia do que está falando…

    primeiro: vai criptografar o que?!

    segundo: toda criptografia onera… não existe ganho de performance com essa abordagem em qualquer aspecto da computação

    terceiro: essa hipotética criptgrafia de sei-lá-o-que está fadada ao mesmo fracasso do blu-ray e do hd-dvd… a chave está lá em algum lugar na máquina…. logo eu posso descobrir qual é

  9. F3L1P40 disse:

    Knux,

    A Apple tem um problema hoje: Apesar de todas as vantagens que nós seres mortais conhecemos, seus computadores utilizam um processador que não é exclusivo dela. A Psystar e outros clonadores (que certamente virão) são uma consequência negativa disto.

    Agora, deixe de lado por um instante a idéia de criptografia e imagine um novo chip desenvolvido pela PC Semi, com uma tecnologia nova e exclusiva da Apple, por exemplo, um co-processador(sim, co-processador agrega, consome energia de bateria/fonte mas agrega em performance) que trabalhe em paralelo com os chips comerciais da Intel a ser implantado nas próximas motherboards. Imagine agora uma futura versão do OSX da Apple “Snow Lion” onde o pré-requisito básico de hardware seja ter este co-processador. Quem tiver um Mac-Intel antigo, terá de se contentar em estagnar no “Leopard Snow” (da mesma forma que o usuário com hardware baseado em PowerPC não poderá migrar para o “Leopard Snow”). A produção deste co-processador será 100% controlada e exclusiva para a Apple, não há como encontrar no mercado, da mesma forma que os POS (Point of Sale) da Verifone e outros leitores de estabelecimentos comerciais de cartões de banco, utilizam chips de criptografia dedicados que são controlados desde sua produção, logística e integração no produto.

    Pronto:
    Para nós mortais, a Apple lançou uma nova máquina mais veloz do mercado e com o OSX mais legal e moderno.
    Para a Apple, está resolvido (por hora) o problema dos copiadores.

    Eu quero dizer que, uma vez que a Apple passou a utilizar os chips da Intel, ela de uma

  10. Knux disse:

    isso não vai acontecer jamais…

    primeiro porque seria o mesmo erro do power pc: a apple não tem capacidade de produzir em massa processadores de qualquer tipo (e placas-mãe também, além de tudo) e não teria no mercado quem fizesse isso por ela… quem faria? a motorolla? a ibm? não tem uma sensação estranha de dejávu?

    segundo que, independente de ter duas versões do SO, o que já seria ridículo, ela estaria na prática excluindo os donos de macs bem recentes… po, o g4 e o g5 AINDA rodam o Leopard, você acha que ela vai excluir macs de 1 mes, 6 meses ou 1 ano de idade? não viaja…

    a apple vai ter de se contentar com o que está acontecendo… a psystar talvez fosse um alvo fácil, mas ela não vai ter nada o que fazer com os casos da efi-x… e nem precisa: o mac não vem instalado, o efi-x vem separado… quem vai comprar isso? uma minoria… melhor deixar quieto, para não gerar o famoso efeito streisand.

  11. Zumbi dos Palmares disse:

    isso não vai acontecer jamais…

    Houve época em que era o que se dizia sobre a possibilidade de a Apple adotar processadores Intel.

    Tem gente que ainda não aprendeu a lição…

  12. Knux disse:

    e isso aconteceu por que? para tornar a plataforma mais aberta… colocar chips da pa semi vai na contramão disso tudo…

  13. F3L1P40 disse:

    Knux,

    A Apple não quer e não precisa de fábrica própria para montagem das placas e/ou montagem final dos produtos. Sabemos que todas as empresas OEMs tradicionais (Sony, Philips, Ericsson, etc) tem se livrado rapidamente de suas fábricas e respectivos custos fixos, terceirizando sua produção com gigantes como a Flextronics, FoxConn, Celestica, Sanmina-SCI, Jabil, dentre outros. A mesma onda de terceirização está acontecendo agora com os fabricantes de semicondutores, necessidade agravada nesta recessão de consumo mundial, onde a salvação para os fabricantes de chips (abaixo da Intel e da Samsung no ranking mundial de faturamento semicondutores) seria migrar urgentemente para o modelo “fabless”. Guess What? A PA Semi já é uma “fabless”, gênio este Steve Jobs, não? Hoje o que não falta é fábrica ociosa de semicondutores implorando ao Deuses para produzir para pagar, pelo menos, seus altos custos de operação. Os tempos mudaram, Motorola e IBM já são coisas do passado…

    Embora em nenhum momento eu tenha dito que haveria duas versões distintas de OSX, mas um nova versão que, digamos assim, maximizasse a performance da máquina extraindo os recursos deste co-processador, você tem razão quanto ao descontentamento dos usuários que possuem hardware mais antigo ao ser privado de utilizar este novo OSX. Neste caso, a saída seria então não restringir o uso, apenas a Apple anunciaria que o OSX alcançaria sua performance máxima somente nas novas motherboards.

    Não concordo com você, Knux, neste ponto: A Apple não pode e não deve nunca se contentar com esta situação por mais “spot” que seja, pois trata de sua própria sobrevivência no médio e longo prazo. Para mim, este caso é sério como um tumor que, se deixar, vai tomar conta do calcanhar de aquiles da Apple: O seu hardware. Poxa, veja a MS se entubando nestes tempos atuais de “copy & paste”, porque será que ela quer fabricar hardware?

    Desculpem-me por esta posição radical, mas este negócio de plataforma aberta deve ficar sempre em segundo plano quando se trata da própria sobrevivência e a Apple de hoje não é mais aquela que pecou no passado fechando sua plataforma. A quantidade de aplicativos para o iPhone desenvolvidos por terceiros é uma evidência clara disto.

  14. Zumbi dos Palmares disse:

    e isso aconteceu por que? para tornar a plataforma mais aberta… colocar chips da pa semi vai na contramão disso tudo…

    Você realmente acha que a Apple adotou a Intel para tornar a plataforma mais “aberta”???

    Em que planeta você vive, Knux?

    Tenho uma novidade pra você: a Apple tá pouco se lixando para as plataformas abertas. O iPhone está aí para provar.

    Ela adotou a Intel simplesmente porque a IBM não estava suprindo a demanda da Apple por processadores mais rápidos.

    Lembra-se quando Jobs prometeu em uma Macworld que teríamos chips G5 de 3,5 GHz e mais? A IBM nunca cumpriu o prometido e deixou Jobs com cara de tacho.

    Foi por isso que a Apple pulou na direção da Intel.

    Acho perfeitamente plausível a hipótese levantada pelo Felipão: a PA Semi pode ser a saída da Apple para manter sua plataforma de hardware tão fechada quanto possível. Acho isso ótimo. Qualidade é o que importa. Quem quiser, que pague por ela, senão que seja feliz com seus PCs de fundo de quintal montado com peças refugadas em Taiwan rodando cópia pirata do Ruindows.

  15. F3L1P40 disse:

    Concordo contigo Zumbi sobre a razão da utilização dos chips da Intel. Knux, esta história de plataforma aberta só é válida quando você precisa de gente automotivada trabalhando de graça para sua empresa e sem qualquer vínculo empregatício. Para isso, basta plantar uma cenourinha na cabeça do cara que ele vai ficar rico da noite para o dia ou ser mundialmente reconhecido. É desta forma que existem hoje uma porrada de desenvolvedores gastando 6 meses ou mais de trampo em cima do SDK do iPhone. Agora, mijou fora do penico criando uma aplicação que possa abrir o flanco da Apple, então esta aplicação será banida e ponto. Tudo é questão de autopreservação.

  16. Knux disse:

    fecho então fera haha

    o dia que a apple colocar os chips da pa semi nos computadores dela para bloquear (iphone/ipod fora da aposta), vc vem me cobrar hahahaha

    mas tipo… melhor esperar sentado… melhor ainda: deitado.

    abraços

  17. F3L1P40 disse:

    Knux,

    Não estou apostando contigo, apenas defendendo o que acredito, o que não impede que eu esteja errado. O problema dos clonadores é real e infelizmente receio que não será resolvido pelo sistema jurídico, porque “fecha-se uma Psystar aqui enquanto abrem mais outras 10 em países diferentes”. Logo, se a Apple cruzar os braços, a exclusiva boa imagem do OSX será banalizada rodando sabe lá aonde em PCs com placas retrabalhadas de Taiwan.

  18.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.