ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Foi Jobs, e não Gates, quem criou e recriou o computador pessoal. E, ao contrário de Gates, Jobs não só recriou os computadores, mas também filmes, música e o telefone.

 

“Ele estava lá no nascimento do computador pessoal. Teve sua segunda vinda. Curou uma empresa muito doente. E, pelo caminho, mudou o modo como pensamos em música, filmes, telefones e computadores. (…) Chamar de religião o que Steven Paul Jobs, co-fundador da Apple, construiu é fácil. Há as massas de adoradores. Há rituais de introdução de novos produtos. Há os símbolos e sinais: a famosa capa da Wired mostrando um logo da Apple envolto numa coroa de espinhos acima da exortação ‘Ore’ vem à mente. E há o próprio Jobs: o bilionário de blusa preta, o obreiro do milagre de tênis New Balance”, diz Brian Caulfield em artigo publicado no site da revista Forbes.

Caulfield atribui a Jobs o crédito de, com o Macintosh, iniciar a indústria da computação pessoal como a conhecemos hoje, liderar a fabulosa ressurreição da Apple, recriar a indústria dos filmes de animação gráfica com a Pixar e comandar a criação do iPod e do iPhone. Ele cita também as palavras de Charlie Wolf, analista da Needham & Co. que acompanha a carreira de Jobs desde o início e sobre ele disse: “Ele certamente estará nos livros de história e não me surpreenderei se for retratado de forma mais proeminente que Bill Gates”.

Afinal, lembra Caulfield, foi Jobs, e não Gates, quem criou o computador pessoal — “primeiro com o Apple original criado com Steve Wozniak, depois com o Macintosh, que popularizou a interface gráfica que Gates depois usaria como alicerce para erguer a Microsoft. E, ao contrário de Gates, Jobs não só recriou os computadores, mas também filmes, música e o telefone”.

Caulfield lembra que, mais que ninguém, Jobs colocou seu DNA nos mais importantes momentos tecnológicos dos últimos 25 anos. Segundo ele, Roger McNamee, veterano investidor da área de tecnologia que também acompanha a carreira de Jobs desde o princípio, disse a respeito de Jobs: “Ele está para o início do Séc. XXI como Thomas Edison esteve para o início do Séc. XX. Edison foi um inventor em uma era de inventores e Jobs é o produtor em uma era de produtos”.

Para Caulfield, essa é uma comparação bastante apropriada, pois, nota ele, Jobs não inventou as coisas que definem a era digital mais do que Edison inventou a luz elétrica. “O que esses dois homens fizeram foi (bem lucrativamente) costurar novas tecnologias em sistemas que se tornaram úteis para o resto de nós. O software iTunes da Apple está para a música digital assim como a estação de energia de Pearl Street de Edison estava para a lâmpada elétrica: a infraestrutura que transformou o artefato tecnológico em um negócio”.

Ainda não temos como saber como terminará a história de Jobs, mas a de Edison já sabemos e ela nos conta algo, observa Caulfield. “Nos últimos meses de vida, Edison supervisionou a construção de um sistema de trens elétricos entre Hoboken e Dover, em Nova Jérsei, EUA. Quando o primeiro trem saiu da estação, em 1931, Edison estava no acelerador. E ficou lá até o fim”.

Mais detalhes, com link para um resumo ilustrado dos momentos mais importantes da vida de Jobs, no artigo completo de Caulfield.

Tags:, , , , ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

4 comentários para “Forbes: por que Steve Jobs é maior que Bill Gates”
  1. rc_pc disse:

    Eu diria que os 2 foram, ou são, importantes para a computação pessoal.
    Um se destacou mais pela criatividade e o outro pela maneira de fazer dinheiro.
    No entanto, tanto a Microsoft como a Apple estão agora com outros dirigentes e com resultados imprevisíveis que só o tempo dirá.
    Enquanto o Gates direcionou o sucesso da MS para a companhia, o Sr Steve Jobs fez a mídia creditar todo o sucesso da Apple na sua pessoa o que torna mais delicada a sua substituição.

  2. nanny disse:

    Eu adoro o Bil Gates pois ele é o homem mais inteligente do mundo . Sei quase tudo da vida dele!

    • Johnny Bravo disse:

      Eu adoro o Bil Gates pois ele é o homem mais inteligente do mundo . Sei quase tudo da vida dele!

      Tadinho… Dá uma peninha…

    • Jonymac disse:

      Bem também adoro a inteligência de Bill Gates a copiar Steve Jobs

  3.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.