ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Mas vulnerabilidade só pode ser explorada em máquinas “já comprometidas” e, ainda assim, permite acesso apenas a dados encriptados, segundo pesquisador de segurança.

 

“Um especialista em segurança no Mac revelou técnica que pode ser usada por hackers para assumir o controle de computadores Apple e roubar dados que estão embaralhados como protenção contra ladrões de identidade”, diz Jim Finkle em artigo publicado pela agência de notícias Reuters.

Segundo ele, o “proeminente” pesquisador de segurança no Mac Dino Dai Zovi revelou a falha na conferência sobre segurança Black Hat, que ocorre em Las Vegas (EUA).

“Cerca de 4 mil profissionais em segurança estão participando do evento, alguns dos quais são hackers de verdade. Embora os especialistas cacem falhas em software visando corrigi-las e proteger os usuários, os hackers usam a mesma informação para planejar travessuras ou cometer crimes. Não é ilegal publicar software que pode ser usado para invadir sistemas de computador, embora seja contra a lei usá-los para fazê-lo”, observa Finkle.

Alimentando o mito da segurança pela obscurade no Mac, Finkle comenta que, embora seja extremamente raro haver ataques contra computadores Apple, os especialistas dizem que isso mudará à medida que o Mac conquistar mais e mais mercado dos PCs rodando Windows.

Ele erroneamente diz também que esses especialistas identificaram no ano passado “pelo menos três virus capazes de infectar Macs” — na verdade, foram dois códigos do tipo cavalo-de-tróia: um distribuído escondido em cópias pirata da suíte iWork e o outro oculto num falso tocador de vídeo. Finkle não menciona em seu artigo qual seria o terceiro “virus”.

“A técnica que Dai Zovi revelou nesta quarta-feira [29] — batizada de ‘Machiavelli’ — só funciona em máquinas já comprometidas. Com ela, é possível assumir o controle do navegador Safari da Apple, roubando dados encriptados de contas bancárias do usuário”, diz Finkle.

Ainda de acordo com Finkle, Charlie Miller, coautor do livro “The Mac Hacker’s Handbook”, disse que o sistema operacional do Mac será um alvo mais fácil quando os hackers realmente começarem a prestar atenção nele. “Isso porque ele tem muito mais código do que o Windows, abrindo espaço para mais vulnerabilidades e bugs que os hackers podem explorar. Embora haja atualmente um suprimento limitado de software malicioso que tenha o Mac como alvo, os especialistas se preocupam com a possibilidade de essa realidade mudar rapidamente, deixando milhões de usuários da Apple desprotegidos”.

Leia mais no artigo completo de Finkle.

Tags:
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

Um comentário para “Reuters: falha no Safari para Mac permite acesso a dados embaralhados”
  1. Ipso Facto disse:

    “Dados embaralhados”? Quão embaralhados? Os hackers podem desembaralhá-los? Se sim, que tal informar esse fato também, Finkle? Se não, então, por favor, diga-nos por que deveríamos nos importar com sua tentativa de fazer estardalhaço por nada.

    Tomemos como base o fato de que a nova “falha” SÓ É EFICAZ EM MÁQUINAS JÁ COMPROMETIDAS (seja lá o que isso signifique). Um jornalista sério, realmente interessado em reportar a verdade, explicaria isso em mais detalhes. Finkle parece tentar ocultar esse fato com uma menção rasteira dele antes de descrever a teórica ameaça que, como sempre, JAMAIS afetou algum usuário de Mac em algum lugar. Quão encriptados são os dados que podem ser roubados se a máquina “já estiver comprometida”?

    Finkle, Dai Zovi, Symantec, Norton e cambada: perdoem-me se não saio correndo para comprar ou assinar o último antivírus que rouba dinheiro de minha carteira, ciclos de meu processador e memória de minha máquina só por causa do alerta de um assim chamado “especialista em segurança” de quem já ouvimos falar múltiplas vezes na última década sem que NENHUM de seus “alertas” JAMAIS tenha produzido nenhuma vítima real no mundo Mac. Isso nada mais é do que a mesma velha história regurgitada todos os anos para promover a conferência Black Hat.

    Agora, alguém por favor explique que diabos Charlie Miller quis dizer com o Mac OS X “tem muito mais código do que o Windows” quando o contrário é que é verdade. Qual será o tamanho do jabá que Miller está levando pra dizer tal asneira? Quem será que está financiando esse jabá?

    Estou neste momento desligando o firewall do meu Mac em homenagem a mais um amontoado de bobagens ditas por pretensos “especialistas” a serviço dos sanguessugas que vivem de espalhar Medo, Incerteza e Dúvida (MID, ou FUD na sigla em inglês). Mas espere… meu firewall já estava desligado! Então vou remover meu antivirus. Mas espere… nunca tive antivirus! E em oito anos de Mac OS X nunca fui atacado, invadido ou infectado? Por que será, hein?

    A resposta, caro leitor, está na explicação obrigatória que sempre tenho que repetir para provar por que o bullshit da suposta “Segurança pela Obscuridade” do Mac falha ao mais básico dos testes de lógica:

    Se obscuridade fosse sinônimo de segurança, o que explicaria o surgimento de um vírus para iPod rodando Linux (umas poucas unidades de aparelhos dentre centenas de milhões em todo o mundo) enquanto não há UM ÚNICO virus para os mais de 33 milhões de sistemas Mac OS X atualmente online por 8 anos ou mais? Por que os criminosos não miram os usuários mais abastados, que são os que compram Mac?

    Se obscuridade fosse sinônimo de segurança, por que já havia virus para a versão beta não-pública do Windows Vista (algumas centenas ou milhares de cópias) enquanto os milhões de Macs em uso na época continuavam livres de virus?

    Tenho feito essas perguntas por anos, mas tudo que obtenho em resposta é um contrito e revelador silêncio.

    A idéia de que a plataforma Windows é insegura porque mais gente usa Windows e a Mac é segura porque menos gente usa simplesmente é falsa. O Mac OS X é mais seguro que o Windows por projeto. Ponto. Seu fundamento é o UNIX, isso já diz tudo. Como referência, leia retratação de David Pogue sobre o mito da segurança do Mac pela obscuridade.

    Toda vez que acontece uma nova edição da conferência Black Hat, ou surge um raro novo cavalo de tróia para Mac, ou um vírus novo ou antigo assombra as ovelhas reféns do mundo Windows, alguém ignorantemente desenterra o mito da “segurança pela obscuridade” do Mac. Isso ocorre por uma razão simples, embora cada vez mais ridícula com o passar do tempo: lógica certamente não é qualidade dos fabricantes de antivirus, montadores de PCs/Windows e do resto de sanguessugas que vivem do inferno astral que assombra o mundo Windows. Eles vivem do medo. O aumento da penetração do Mac no mercado sempre é acompanhado do aumento da propagação dessas bobagens anti-Mac. As ovelhas precisam ser mantidas no redil do Windows, não importa se à custa de reputação, realidade, produtividade, sanidade, etc. Muitos investiram tanto no Windows que lhes parece impossível assistir de camarote o Mac erodir pouco a pouco o mercado de PCs/Windows sem que façam nada para tentar reverter esse processo, nem que seja por meio de espalhar medo, incerteza e dúvida.

    A bobagem da segurança pela obscuridade é um mecanismo de defesa dos apologistas da Microsoft e dos que mamam em suas tetas para manter seu rebanho no redil. Mais de 33 milhões de Macs em uso não é um número “obscuro” de forma alguma. Oito ou mais anos de navegação segura e livre do inferno astral do mundo Windows certamente é segurança. Apesar das tentativas de ataque via engenharia social (phishing, trojans, etc. — nenhum SO pode instilar bom senso na mente do usuário), a única ameaça ao usuário de Mac é a grande leva de máquinas Windows infectadas transformadas em zumbis causando lentidão na Internet com tráfego de spam e tentativas de golpe em busca de mais PCs/Windows inseguros.

    O problema todo tem um nome: Windows. Usuário de PC/Windows: saia dessa vida, compre um Mac!

  2.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.
Get Adobe Flash player