ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Jornalista cita “especialistas” para afirmar que Apple está tacitamente reconhecendo que seu novo sistema operacional é tão sujeito a malware quanto qualquer outro.

 

Por MARCELO TODARO
Editor

Já notou que, sempre que uma versão nova do sistema operacional Mac OS X chega, o lançamento é acompanhado de uma enxurrada de tentativas de ressuscitar mitos e lendas sobre ele? Daniel Eran Dilger disse ontem: “Os entusiastas do Windows trabalham duro para comparar o Windows 7 com o Snow Leopard. O problema é que não há base inteligente ou racional para fazê-lo”.

Se a bela repórter Elinor Mills, do CNET, tivesse lido o artigo de Dilger antes de escrever o seu, talvez tivesse pensado duas vezes antes de publicá-lo.

Citando supostos “especialistas”, ela diz logo no primeiro parágrafo:

“O lançamento nesta sexta-feira da nova versão do Mac OS, batizada de Snow Leopard, pode incluir alguns recursos de segurança que o tornarão seguro, ou pelo menos elevarão sua segurança a um nível mais próximo da que tem o Windows Vista e Windows 7”.

Como é? Quer dizer que ela — ou os supostos “especialistas” — acha(m) que, à semelhança do Windows, a Apple vai implementar algum tipo de Registro no kernel do Snow Leopard?

“Ao contrário da crença popular entre fanboys do Mac, o Macintosh não é mais seguro do ponto de vista do software que o Windows moderno. Ele é meramente mais seguro de usar porque os criadores de malware preferem mirar na plataforma com a maior base instalada, segundo Charlie Miller e Dino Dai Zovi, coautores do The Mac Hacker’s Handbook, que será lançado neste verão”.

Então os autoproclamados “especialistas” Charlie Miller e Dino Dai Zovi escreveram um livro? Paris Hilton e Britney Spears também, e daí? Quando esses “especialistas” aparecerem com um virus para Mac OS X que se propaga sozinho sem o conhecimento do usuário, alguém me acorde.

Não tenho antivirus em meu Mac e meu firewall fica desligado por padrão. Engulam essa, “especialistas”. Oh, mas o que é aquilo? Todos os “exploits” descobertos pelos “especialistas” requerem acesso físico ao Mac? E só funcionam se visitarmos algum endereço especial sem estarmos com nosso sistema atualizado? Querem também nossas senhas de administrador ou que simplesmente ativemos o usuário root para eles?

Miller e Dai Zovi são o Victor Lustig dos entendidos em segurança. E Elinor Mills foi mais uma a comprar a Torre Eiffel deles.

Como se não bastassem todas as outras vezes em que o mesmo assunto foi repetido — e aparentemente continuará sendo ad nauseam —, aqui vamos nós de novo:

É totalmente ilógico afirmar que a plataforma Mac é mais segura por ser menos usada. Se obscuridade fosse sinônimo de segurança, o que explicaria o surgimento de um vírus para iPod rodando Linux (umas poucas centenas de aparelhos dentre dezenas de milhões em todo o mundo) enquanto em 9 anos — sim, nove! — não surgiu UM ÚNICO virus para os mais de 30 milhões de sistemas Mac OS X atualmente online?

Se obscuridade fosse sinônimo de segurança, por que já havia virus para a versão beta não-pública do Windows Vista (algumas centenas de cópias) enquanto as dezenas de milhões de Macs em uso na época continuavam livres de virus?

Por que os criminosos não miram os usuários mais abastados, que são os mais de 30 milhões que compram Mac e dos quais talvez possam roubar mais dinheiro?

Essas perguntas têm sido feitas há anos, mas tudo que se obtém como resposta é um contrito e revelador silêncio, quando não algumas tentativas de resposta com argumentos carregados de mais FUD — como parece ser a especialidade do CNET.

Estamos próximos de completar toda uma década sem que um único vírus para Mac tenha surgido no horizonte. Quando será que esses “especialistas” vão calar a boca?

A idéia de que a plataforma Windows é insegura porque mais gente usa Windows e a Mac é segura porque menos gente usa simplesmente é falsa. O Mac OS X é mais seguro que o Windows por projeto. Ponto. Como referência e razões, leia retratação de David Pogue, do New York Times, por ter sido um dos que espalhava o mito da segurança do Mac pela obscuridade.

Toda vez que um vírus novo ou antigo assombra os reféns do mundo Windows, ou toda vez que notícias do avanço do Mac no mercado são divulgadas, ou que uma nova versão do Mac OS está para chegar, alguém ignorantemente desenterra o mito da “segurança pela obscuridade” do Mac. Isso ocorre por uma razão simples, embora cada vez mais ridícula com o passar do tempo: fabricantes de antivirus, montadores de PCs/Windows e do resto de sanguessugas que vivem do inferno astral que assombra o mundo Windows vivem do medo. Lógica certamente não é qualidade deles. O aumento da penetração do Mac no mercado sempre é acompanhado do aumento da propagação dessas bobagens anti-Mac. As ovelhas precisam ser mantidas no redil do Windows, não importa se à custa de reputação, realidade, produtividade, sanidade, etc. Muitos investiram tanto no Windows que lhes parece impossível assistir de camarote o Mac erodir pouco a pouco o mercado do Windows sem que façam nada para tentar reverter esse processo, nem que seja por meio de espalhar FUD.

A bobagem da segurança pela obscuridade é um mecanismo de defesa dos apologistas da Microsoft e dos que mamam nas tetas do ecossistema Windows para manter as ovelhas no redil. 30 milhões de Macs não é um número “obscuro” de forma alguma. Nove anos de navegação segura e livre do inferno astral do mundo Windows certamente é segurança. Apesar das tentativas de ataque via engenharia social — phishing, trojans, etc. (nenhum sistema pode instilar inteligência na mente do usuário) —, a única ameaça ao usuário de Mac é a grande leva de máquinas Windows infectadas transformadas em zumbis causando lentidão na Internet com tráfego de spam e tentativas de golpe em busca de mais PCs/Windows inseguros.

No âmago da questão temos uma única coisa: o Windows. Usuário de Windows: saia dessa vida, compre um Mac! Grandes varejistas como o Submarino (veja banner no alto da página) parcelam em 10 ou mais vezes sem juros. Se der ao Mac a chance que ele merece, verá que cada centavo gasto a mais valeu a pena. Você só compreenderá isso quando tiver um.

Mas voltemos ao artigo de Mills:

“Imagem publicada no blog Mac Security da Intego nesta terça-feira parece mostrar um recurso de segurança supostamente presente no Snow Leopard que aparenta detectar um cavalo-de-troia em uma imagem de disco sendo baixada via Safari. O artigo cita relatos anônimos sobre um recurso antimalware que foi acrescentado. ‘Se for verdade, isso marca uma mudança fundamental na postura da Apple, admitindo que seu sistema operacional é tão sujeito a malware quando outros’, disse Miller”.

Pobre Miller… Compadeço-me de sua torpe ignorância — e isso que se trata de um “especialista”! Vou deixar que um colega de Mills, Ed Baig, do jornal USA Today, responda a ambos: “O Mac é conhecido por ser imune a virus de PC, o que é um argumento de venda da Apple em seus comerciais. Notícias divulgadas pela firma de software de segurança Intego sobre um recurso antimalware no Snow Leopard causaram desconfiança. (…) A Apple diz que o Snow Leopard meramente melhorou a tecnologia ‘Quarentena de Arquivo’, introduzida no Mac OS X Tiger [ou seja, em 29 de abril de 2005 — destaque nosso], para detecção de malware. Ela funciona com arquivos baixados pelo Safari, iChat e Mail. Se um malware for detectado, o Snow Leopard sugere que seja movido para a lixeira. Através da tecnologia Software Update do Mac, a Apple tem a capacidade de adicionar novas ‘assinaturas’ de malware à medida que se tornam conhecidas, potencialmente evitando a disseminação de código malicioso”.

Mills prossegue espalhando mais FUD em seu artigo completo, mas acho que o leitor já leu as entrelinhas. Como leitura adicional, recomendo o artigo Cinco dicas para decifrar notícias sobre a (in)segurança do Macintosh, que pode ajudar o leitor a colocar o FUD de Mills na devida perspectiva.

Caso você deseje enviar uma nota de “elogio” à autora e ao editor do CNET:

Elinor Mills: elinor.mills@cnet.com
Scott Ard, editor-chefe do CNET: link para formulário nesta página

Tags:, ,
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

18 comentários para “Alerta de FUD: CNET diz que Snow Leopard nivela segurança por baixo”
  1. Ipso Facto disse:

    Eu não teria dito melhor. 😉

  2. Romulo disse:

    O que mais me irrita é o fato de a MS ter atitudes que vão alem de erro técnico, que são conscientes!

    o UAC tinha TUDO para ser uma boa estratégia de segurança (e a melhor tecnologia da MS do gênero) para quem queria executar como administrador!

    O usuário executava o aplicativo e NADA que estivesse a cima das permissões de usuário comum, prosseguiria sem a confirmação do usuário.

    O UAC realmente funcionava, nem programas de captura de tela conseguiam capturar ou manipular a tela de segurança do UAC. E dessa forma também não era necessário digitar uma senha.

    No XP programas como o Comodo realizavam essa tarefa e simplesmente tornavam o sistema realmente seguro em modo administrativo, sem a ocorrência mais de pragas.

    Acontece que os usuários ordinários, que não compreendem de segurança, choramingaram por que o sistema realizava muitas perguntas.

    Dessa forma, entre ativar e desativar o UAC, foram adicionados 2 níveis intermediarios, um deles ativava a tela segura apenas para programas de terceiros, o outro mais baixo nao ativava a tela de segurança, ativava uma tela mais comum.

    Surgiram 2 bugs disso, o primeiro onde a mudança de nível do UAC não pedia elevação de permissões (burrice) foi corrigido…

    O segundo… O sistema dava um jeito de verificar se a aplicação era ou não de terceiros… No caso o sistema verificava a existência de um manifesto (copiável), presente no código do programa e também verificava a assinatura da MS (não copiável). No caso realmente era impossível executar qualquer programa que nao fosse da MS, porem, o programa malicioso tem duas oportunidades ainda, a primeira ele simplesmente precisa interagir com algum aplicativo interno, com o manifesto e assinado, pedindo permissão, se o aplicativo em questão consegue disparar outras funções, como no caso do rundll32.exe, o programa malicioso pode fazer com que o aplicativo dispare seu código com permissão elevada já que o sistema encherga o rundll32 como um aplicativo com direitos totais.

    No segundo caso do segundo bug, o que pode ocorrer é o programa malicioso usar por eemplo uma API de depuração por exemplo, para injetar seu código em um aplicativo que esteja rodando.

    Enfim, o primeiro erro a MS corrigiu, era de se esperar, porem o segundo, não teve correção ainda! A MS manifestou-se dizendo que não era erro de segurança, que para isso primariamente o código mal intencionado deveria entrar no sistema, e atualmente só consegue entrar se executado pelo usuário, e o usuário não deveria executar código duvidoso, logo a MS se negou a corrigir o bug.

    Caso vai, caso vem, a pressão sobre a MS foi tanta que ela disse que iria corrigir os dois problemas, a poeira baixou e a MS não fez NADA a respeito do segundo bug…

    É engraçado… por que se for dito veementemente ao usuário que o código é seguro, ele o executara sem saber sua procedência! Engenharia social é o meio mais simples!

    Quantos sites você acessa cujo o código não é assinado e você não está nem ai? Inclusive várias empresas as vezes não assinam o seu código!

    Enfim, o UAC era uma segurança REAL, o único meio de se ”burlar” o UAC era não pedir elevação de privilégio, o que leva qualquer malware a cair na mesma proposta dos sistemas UNIX, o código malicioso só pode executar permissões da baixo nível…

    O jeito por enquanto é manter a segurança do UAC em nível máximo, ou criar uma conta sem privilégios de administrador…

    Absurdo…

  3. Telmon Lima disse:

    Olá Romulo, bom dia!|

    Apesar de não conhecer muito bem da “informática” por trás dos SOs, eu entendi muito bem o que você disse e achei muito interessante. Mas veja o meu ponto de vista: Eu não trabalho com Sistemas Operacionais, eu trabalho com programas instalados neles; dito isso, me irrita muito trabalhar com o Windows por conta desse conhecimento que ele me exige. Veja, em minha opinião e apenas baseado nela, acho ridículo ter que ficar clicando em “Permitir” ou “Cancelar” para tudo que vou fazer (ou quase tudo), e ainda assim não me sentir seguro em relação ao trabalho que estou realizando. Meu foco é o trabalho e não o sistema operacional.

    Já com o Mac, desde que eu me preocupe em rodar programas originais e em não visitar sites de procedência duvidosa, não preciso me preocupar com mais nada. Não preciso me preocupar com arquivos enviados por clientes, etc. Basta eu focar em meu trabalho e deixar o Leopard fazer o resto sozinho.

    Eu sei que seu comentário apenas visava explicar alguns problemas técnicos existentes no UAC devido aos pedidos de usuários, que como eu, acham muito chato o modo como ele funciona.

    E pra concluir, só mais um detalhe: Por tudo isso é que acho um absurdo sem tamanho o fato do Baboo aparecer por aqui pra alegar que ele também usa os computadores dele com o Windows sem Antivírus e sem Firewall, porque isso é o mínimo que se espera de uma pessoa com os conhecimentos dele sobre o SO da Microsoft. Os argumentos dele não significam nada, já que a realidade mostra que se colocarmos 2 pessoas com os mesmos mínimos conhecimentos de informática, uma com um Mac e outra com um PC rodando windows (ambos sem antivirus em sem firewall), ao final de uma semana de trabalho já sabemos quem terá um vírus (e etc de ruim) em sua máquina e quem não terá. E tão pouco me interessa se daqui 50 anos haverá um vírus (de verdade) para o Mac, a realidade é que hoje não existe e amanhã continuará a não existir e isso me basta.

    Valew Romulo pela explicação!
    Até mais!

    • Zumbi dos Palmares disse:

      BRAVO, TELMON! BRAVO!!!

    • Romulo disse:

      Telmon, realmente o post era para demostrar um problema da UAC, porem, alem disso, ele também torna verdadeira a justificativa de obscuridade.

      Atualmente partindo do Vista e também no Seven o Windows funciona com camadas e politicas de permissão como os sistemas UNIX, tudo bem… com a diferença que o usuário comum pode executar programas de acesso elevado, sem logar diretamente no administrador ou digitar uma senha para aceder ao administrador…

      Se você acessar um site de engenharia social… Sendo um usuário Mac e esse site conter código malicioso para seu sistema e você confiar no mesmo, e fornecer permissão de execução, o inevitável vai ocorrer… Agora o mesmo também ocorre com o Vista e o seven… a Diferença é que ele só pede sua permissão, não uma senha (o que é mais rapido). Os 2 sistemas reagem da mesma forma e o código malicioso não tem condições de ir a qualquer lugar em ambos.

      A diferença é que muito provavelmente o usuário Mac também vai permitir e dificilmente haverá algo la que rode no seu computador…

      Acho muito natural o usuário na possibilidade de escolher entre um sistema com chances maiores de encontrar algo ruim para si na rede e outro com chances menores, escolher um sistema terminantemente menos perseguido…

      A obscuridade era um mito irreal antes do UAC e da mudança radical do Vista, e infelizmente o argumento voltou-se contra o Daniel, Com isso não quero dizer que o vista e o seven são mais ou menos seguro, nem que é um sistema bom (pessoalmente muita coisa neles me irrita), mas admitir algo para mim nao é uma questão de gosto… Fica claro que a obscuridade agora se tornou uma realidade não só para o Mac como para qualquer plataforma Unix…

      O que eu acho importante, é que o usuário que presa pelas suas informações, se elas forem cruciais e tiverem muita importância é que pelo menos, eles procurem não confiar na sorte, usando o sistema que for, como administrador e sem firewall…

      Pois até mesmo a sorte falha e qualquer usuário pode ser enganado por engenharia social bem disfarçada…

  4. Baboo disse:

    Agora eu me lembro pq eu parei de postar nesse blog: muita molecagem, e nada de seriedade. Mais um exemplo:

    Telmon, você não pode me denegrir gratuitamente: em nenhum momento eu postei que não uso firewall ou antivirus. Isso é uma informação falsa, que eu jamais publiquei.

    Publique o link com a fonte dessa informação, ou se desculpe pelo erro (intencional ou não) que você cometeu.

    • Romulo disse:

      Você acha que essa sua atitude teve alguma validade, ou alguma superioridade, depois de chamar o publico daqui de molecada?

      Você compactuou com discussão agressiva aqui no blog…

      Procurasse tentar não agir com palavras como ”molecada”, talvez não teria a fama que tem…

    • Telmon Lima disse:

      Olá (…), boa tarde!

      Primeiro: Realmente, não encontrei referência alguma sobre você não usar firewall ou não usar Anti-vírus. Alguns usuários de windows afirmaram isso, mas não você e por essa afirmação eu me retrato: Me desculpe!

      Segundo: Denegrir? Meu erro não cabe nesta categoria, (…). Este foi um erro natural, até comum. Meu erro foi afirmar que você disse algo que não disse, agora, dizer que você não usa Firewall ou Anti-vírus de forma alguma é denegrir sua imagem.

      Terceiro: Molecagem? Onde, qual sua base para afirmar uma coisa dessas? Eu assumo plenamente o que digo e se errei me prontifico a me retratar. Não sou moleque, fique você sabendo! Você é muito mais usuário e leitor deste site do que eu e está a par do que é dito sobre você aqui; portanto, dito isso, fica claro que não estou escrevendo “pelas suas costas”. Nunca pretendi lhe ofender, muito pelo contrário, ao afirmar que você não usa firewall e anti-vírus (mesmo agora percebendo que não é verdade), todos que lessem poderiam considerar isso como elogio, já que conseguir isso no Windows é tarefa para pouquíssimos.

      Quarto: Repare que o ponto em que você se focou foi a fato de eu dizer que você não usa firewall e anti-vírus, sendo que em nenhum momento você tentou me censurar por afirmar que o Windows é muito mais “complicado” que o SO da Apple (no caso o Leopard). Note também que a verdade permanece: Nem mesmo você pode se dar ao luxo de não usar firewall e anti-vírus como eu me dou. Não sou especialista em SO algum, sou muito leigo sim senhor, mas não uso Firewall e nem Anti-vírus e nunca tive problemas, nem terei.

      Respeito seu trabalho e fui usuário de longa data do seu site, mas percebi que por mais bem intencionado que esteja em tentar ajudar pessoas como eu a evitarem “dores de cabeça” com o Windows, a verdade é uma só: ele não é projetado para entregar facilidade de uso para leigos como eu e é inseguro o suficiente para impedir minha produtividade. Talvez você argumente que o Windows 7 vem justamente para mudar isso, mas a verdade permanece: o Windows 7 não é uma realidade, ele é uma promessa, ele não é real. Eu não posso, mesmo que queira, compra-lo agora e começar a usa-lo. Vamos ver o que o tempo dirá sobre mais esse Windows. A realidade é que o Windows é inferior, e, se me permite, vou aplicar suas próprias palavras ao Windows: O Windows é lixo!

      Sucesso a todos!

    • Romulo disse:

      Telmon, muito provavelmente você tem um firewall ativado e não sabe.

      É comum em sistemas Unix haver um firewall ”enraizado” no sistema, alias muitas distribuições Linux, como exemplo, mantem por padrão o firewall aivado (nem todas).

      Você pode não saber, mas o que impede que outras maquinas estabeleçam conexões por vontade própria com você e impede que seu computador escute ”requests” de entrada, seja qual for, é o firewall.

      Não somente ele, politicas de porta dos servidores e nossos modens também contribuem, mas muito pouco, não são muito flexíveis.

      Dessa forma é o seu firewall que possibilita a você apenas enviar as perguntas a rede, e não receber perguntas em principio, ou responder a todas, por padrão ele bloqueia as comunicações de uma maquina ”servidor” geralmente, que seria o ato de escutar portas…

      Dessa forma seu computador fica invisível, não reage a requests como fazem os servidores…

      Dessa forma código malicioso poderiam entrar aos montes em seu computador (o de menos), e sua privacidade seria comprometida, seu computador seria um ”livro aberto”, o que pode ser pior.

      O que as pessoas não entendem é que as politicas de camada do Unix não previnem de alguem enviar algo ou bisbilhotar seu usuário… A politica de camadas apenas protege o sistema de danos severos, assim como utras contas da maquina.

      Por isso essa cultura de que alguem pode ficar sem firewall deveria ser eliminada, sistemas que se dizem impenetráveis tem um firewall ativo… Agora eu me pergunto quantos usuários as vezes desativam isso…

      Não é nenhuma informação ”técnica” que as pessoas não precisariam saber, é praticamente uma educação, de socialização segura, da mesma forma quando nos ensinam a agir eticamente certo, como ser uma pessoa útil a sociedade, é cultura de convivência.

      Apenas propondo um pouco mais de informação… Afinal as pessoas devem aprender a se proteger, não é algo negativo e te previne dos acidentes de azar, como os poucos constatados Macs zumbis.

      Realmente antivírus não deve ser usado por ninguém que não tenha relação com Windows, alem de uma atividade e politica incorreta desse ramo, o antivírus é um projeto pouco moral e pouco confiável, o mercado é dominado pelos dizeres econômicos e fica claro que sinalizar o numero maior de vírus se tornou meta de muitas empresas, um reflexo de uma barreira de guerra constante, algo menos eficiente e mais dispendiosa para o usuário.

      Abraços.

    • Lukeskymac disse:

      Entao onde esta a SUA seriedade?

  5. Baboo disse:

    Vamos cortar o mal pela raiz: eu solicitei ao editor deste blog para filtrar definitivamente a palavra “Baboo”, censurando-a ou impedindo que ela seja publicada. Desta maneira ninguém mais vai postar bobagens sobre mim, e encerramos essa questão de uma vez por todas.

    Sucesso a todos!

  6. Nairan disse:

    Caro Romulo, sua resposta já mostra claramente a diferença entre o Mac o seu comcorrente, ou seja, o fato de que num Mac o usuário padrão, ou leigo não ter que nem ao menos saber que existe um possivel firewall embutido no sistema o protegendo.

    A verdade é que o computador pessoal já deixou de ser algo para profissionais apenas a muito tempo, ele é feito para pesoas comuns e a computação é, hoje em dia, algo disponibilizado para o cidadão comum, assim como a eleticidade.

    Existe sim a figura do eletricista profissional, mas ninguém precisa saber nada sobre eletricidade para usar eletricidade em sua residência.

    Da mesma forma ninguém deveria saber nada sobre firewallou sistemas des egurança para sar seu computador, isso deve ser obrigação de quem forneçe o sistea e os serviços.

    O MacOS camiha justamente nese sentido, ou seja disponibilizar para o usuario um sistema cada dia mais pronto para ser usado pelo usuario comum, leigo e não profissional, mas mantendo todas as ferramentas disponiveis para o usuário avançado, profissional e que faz esta capacitado a tirar proveito dessas ferramentas.

    Somente iso já justifica à adoição do Mac Os como padrão em lugar do Ruindous

    • Romulo disse:

      é bom ter algum conhecimento básico para não ocorra acidentes ao mexer com eletricidade. Assim como provavelmente o usuário leigo quando precisar de algo que libere X porta para X ip ou programa especifico, seria prudente que tivesse um conhecimento básico, e não técnico.

      Hoje muitos se aventuram a procurar o firewall no sistema e desativa-lo para fazer muitas tarefas, quando na realidade definir a porta em uma interface gráfica simples seria igualmente muito simples, mas ainda necessário hoje, onde muitos usuários leigos mantem programas com portas especificas de comunicação…

      Não é nada técnico, são apenas conhecimentos básicos para o seu dia a dia ser mais eficiente e seguro.

    • Nairan disse:

      Entendo e concordo com o fato d nunca ser demais o conhecimento, so alerto para a questão da integração e uso dos recursos de forma mais natural, como a Apple vem seguindo, no exemplo dos firewall’s, já passou da hora de se deixar de falar em portas tal e tal, abrir ou fechar as portas 2244, ou 26xl ou seja lá quais forem, iso deve ficar para quem é tecnico e trabalha com isso, os firewall’s já deveriam ter se integrado de forma a que essas posibilidades fossem oferecidas de maneira clara e praticamente invisivel ao usúario, dando a ele a possibilidade de manusear isso de forma clara e simples.

      É o efeito “Jornada nas Estrelas” uma interface homem maquina realmente integrada.

      Me parece que a única que persegue esse ideal é a Apple, todas as outras ainda mantém visão de um sistema para profissionais, presos a uma idéia derivada dos mainframes do seculo passado, como se para trabalhar com computadores e com informática todos tivessem que ser hackers ou coisa similar.

      É o mesmo tipo de idéia que i Ifone veio quebrar na esfera dos celulares.

      A complexidade tem que estar trabalhando em beneficio da simplicidade.

      Qualquer outra coisa estará sempre fadada ao desaparecimento.

    • Romulo disse:

      Eu sei o que você quer dizer, mas nem a Apple inventou um jeito ainda de tornar seguro permitir que o programa faça os ”requests” de liberação de portas sem que o usuário entenda no que isso pode implicar…

      Não é mera questa de simplificar o complexo ou só conhecimento por saber… Alguns conhecimentos do usuário jamais substituem a confiança em uma empresa, programa, enfim…

      Claro que isso vai do que o usuário faz mas acho que muito profissional de outro ramo, leigo na informática preza pelo seu aparelho e seus dados…

      Esse tipo de conhecimento é como, saber que não se deve deixar eletrônicos perto imãs com campo muito forte, de que não se deve meter o dedo na tela do seu notebook ou comer e beber sob ele.

      Nenhum programa ou aparelho faz a parte dele por completo se não ha um individuo com algum minimo de conhecimento sobre ele, por isso digo que esse tipo de conhecimento maximiza sua flexibilidade e eficiência.

      É um beneficio digamos, antropológico… 🙂

      Com isso não digo que tenha algo contra a simplificação das coisas, só acho que isso não pode ser um motivo para não nos aproveitarmos disso como eficiência extra. Ao contrario de um aparato para diminuir nossos requerimentos.

  7. Nairan disse:

    Observação, desculpem os erros, mas estou escrevendo em um computador com defeito no teclado, e não disponho de outro no momento.

  8. Daniel Carlos disse:

    Novamente voltamos a estaca zero… (…), molecagem é o que você faz em seu site. Proibir membros de falar sobre outros sistemas operacionais é medo de expor ao mundo que o Windows não é o que aparenta ser e que existem sistemas melhores!!! Isso sim é molecagem. Veja, aqui não é proibido falar que o Mac é ruim (apesar que não há motivos pra se reclamar do Mac), aqui não é proibido falar que o Linux é quase um Mac pra PCs, e também não é proibido falar que Windows é bom (bom pra pegar virus, só se for)… Aqui todo mundo é livre pra expressar suas idéias sobre determinado sistem operacional, computador, celular ou qualquer coisa… E no seu site??? Falou a palavra Linux, a pessoa fica banida por 300 anos… nem quero saber a punição pra quem falar de Mac lá… opr falar nisso, meu cadastro ainda tá lá bloqueado, né??? Quando a verdade dói, é natural do ser humano escondê-la do resto do mundo. Quanto ao nosso amigo leigo da informática alí de cima, meus parabéns: nunca vi alguém com conhecimentos minimos de informática peitar o (…) de frente e mostrar a ele que windows é ruim como você conseguiu fazer!!! Parabéns!!!

  9.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.
Get Adobe Flash player