ESTE SITE ESTÁ À VENDA
Faça sua oferta aqui
 
« iTunes ganha interface 'limpa' e rede social »     ...     « Lançamento de Ping estremece relação entre Apple e Facebook »     ...     « Em tráfego de dados, Android e Linux perdem para aparelhos com iOS »     ...     « Teste de velocidade no iPhone 3G: iOS 4.0 contra iOS 4.1 »     ...     « TIM faz 'degustação' do iPhone 4 a partir de amanhã »     ...     « Rede social da Apple precisa de ajustes »     ...     « Aplicativo para iPad mostra a localização dos centros da Nasa »     ...     « Primeiras impressões: testamos os novos iPods »     ...     « Os 10 melhores programas para Mac »     ...     « Novos iPods Shuffle e Nano chegam ao Brasil em 2 semanas »     ...     « Anatel homologa iPad 3G para venda no Brasil »     ...     « Livraria Saraiva lança plataforma de livros digitais para iPad »     ...     « Loja on-line da Apple supera a marca de 250 mil aplicativos »     ...     « App Store bate novo recorde e mantém liderança isolada no mercado »     ...     « App Store atinge a marca de 6.5 bilhões de downloads »     ...     « Steve Jobs apresenta mudanças no iPod »     ...     « Steve Jobs apresenta versão menor e mais barata da Apple TV »     ...     « Apple cria locadora virtual de filmes e renova linha de iPods nos EUA »     ...     « Apple atualiza linha de iPods, mas deixa Classic de fora »     ...     « Novo iPod Shuffle: os botões estão de volta! »     ...     « Apple apresenta iOS 4.1 com correções para bugs do iPhone 4 e 3G »     ...     « Windows Live Sync (ou será Live Mesh?) chega à plataforma Mac »     ...     « Orquestra de iPads apresenta aplicativo musical »     ...     « Apple planeja utilizar tecnologia em que metais se comportam semelhante ao plástico »     ...     « Capa para iPhone funciona como abridor de garrafa »

 

 

Mesmo incluíndo impostos, frete e seguro, redução no custo do equipamento é considerável quando comparado aos preços praticados pela Apple Brasil.

 

Por JORGE ALBERTO NEVES

Sempre nos perguntamos porquê os preços de todos os produtos Apple vendidos no Brasil são tão elevados. Além das clássicas desculpas preferidas de todos — a famigerada carga tributária, “custo Brasil” e outras que tanto ouvimos nos noticiários —, há de se considerar outra razão menos agradável: o lucro almejado pelo canal de vendas da Apple no Brasil, formado pela própria Apple, pelos distribuidores e pelas revendas.

Assim, ficamos todos presos a uma situação da qual não podemos sair caso não tenhamos o devido conhecimento. Mas o que explico neste artigo pode dar uma idéia geral de como adquirir os produtos que tanto amamos por preços mais baixos e de forma legal e segura.

Há duas alternativas para importar produtos Apple, fazendo o bolso doer menos do que doeria no balcão das revendas autorizadas brasileiras:

  1. Trazendo o produto do exterior na bagagem — pessoalmente ou através de alguém;
  2. Por encomenda internacional.

Em qualquer dos casos, os impostos devem ser pagos para que o produto desfrute da garantia de assistência técnica gratuita no prazo estipulado pelo fabricante e que não se cometa crime de evasão fiscal, que pode acarretar na perda do produto (apreendido pela Aduana/Receita Federal) e em ação penal.

Na bagagem

Quando o produto é trazido na bagagem o usuário deve seguir os seguintes passos ao desembarcar:

  • Preencher a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA) fornecida pelas empresas aéreas ou agências de viagens ou obtido nas repartições aduaneiras, mencionando o valor do produto conforme constante na nota fiscal;
  • Entrar na fila do guichê de “Bens a Declarar” da Aduana (Receita Federal);
  • Apresentar a DBA e a nota fiscal de compra do produto no exterior;
  • Pagar na rede bancária o imposto de importação, calculado à base de 50% do que exceder a cota de isenção de US$ 500 para viagens aéreas (valor total dos bens menos cota de isenção) por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).

Caso não seja possível o pagamento do imposto no momento do desembarque, os bens sujeitos à tributação ficam retidos pela Aduana mediante o preenchimento e entrega ao usuário do Termo de Retenção e Guarda de Bens, contendo informações referentes ao viajante e aos bens retidos. A liberação dos bens é efetuada posteriormente mediante a apresentação do Termo de Retenção e do comprovante do pagamento do imposto.

Vejamos um exemplo de quanto custaria a aquisição do modelo mais simples de MacBook com processador Intel Core 2 Duo de 2 GHz, 1 GB de RAM, HD de 80 GB, drive Combo, branco (produto ainda não disponível no Brasil):

  • Preço na loja online da Apple: US$ 1099
  • Cota de isenção: US$ 500
  • Valor para cálculo do imposto: US$ 599
  • Valor do imposto de importação: US$ 299,50
  • Valor total do produto legalizado: US$ 1099 + US$ 299,50 = US$ 1398,50
  • Valor final do produto em reais: R$ 2741,06 (considerando US$ 1 = R$ 1,96 pela cotação de 6 de junho)

Pelo preço sugerido pela Apple do Brasil, o modelo mais simples de MacBook disponível no mercado nacional (Core Duo de 1,83 GHz, 512 MB de RAM, HD de 60 GB e drive Combo) custa R$ 4999.

Desta forma, vemos que o preço final para quem pode viajar ao exterior ou que disponha de alguém que possa trazê-lo legalmente é muito inferior ao praticado pelas revendas no Brasil.

Encomenda internacional

A segunda forma de importar diretamente um produto Apple é através da encomenda postal, inclusive para compras via Internet, sob o chamado Regime de Tributação Simplificada.

Adquirindo um produto por catálogo ou através de um site, podemos contratar a entrega do produto no Brasil por encomenda expressa (FedEx, DHL, UPS, etc.) ou através do serviço postal normal.

Podemos utilizar essa forma de importação quando um parente ou amigo residente no exterior adquirir o produto em nosso nome ou no nome próprio e remetê-lo ao Brasil. Neste caso, há um limite para o valor do produto adquirido, que é de US$ 3 mil.

A liberação da mercadoria pode ser feita diretamente nos correios quando o valor do produto for inferior a US$ 500, pagando-se o imposto com alíqüota de 60% sobre o valor do bem mais frete e seguro do transporte, caso já não estejam incluídos no preço, sem qualquer formalidade aduaneira, de um modo bem simples e rápido.

Quando o valor da remessa postal for superior a US$ 500, o destinatário deverá apresentar Declaração Simplificada de Importação (DSI), fornecida nos correios.

No caso de utilização de empresas de transporte internacional expresso porta a porta (courier), o pagamento do imposto é realizado pela transportadora à SRF. Assim, ao receber a mercadoria, o valor do imposto será uma das parcelas a ser paga à empresa. Algumas já incluem tal custo no preço final do produto junto com frete e seguro, como faz a Amazon.com (livros, CD’s, etc), dispensando o comprador no Brasil de efetuar qualquer pagamento adicional.

Nas remessas postais, o interessado pode optar pela tributação normal, informando-se a respeito no momento da retirada do bem nos Correios. Na hipótese de utilização de transportadora, o destinatário deverá apresentar a DSI e pode optar pela tributação normal.

Como exemplo, tomemos o mesmo MacBook Intel Core 2 Duo de 2 GHz, 1 GB de RAM, HD de 80 GB, drive Combo, branco (custos de frete e seguro inclusos):

  • Preço na loja online da Apple: US$ 1099
  • Frete (sugerido): US$ 200
  • Seguro (sugerido): US$ 149,90
  • Base de cálculo do imposto de importação: US$ 1448,90
  • Valor do imposto de importação: US$ 869,34
  • Valor total do produto legalizado = US$ 1099 + US$ 200 + US$ 149,90 + US$ 869,34 = US$ 2318,24
  • Valor final do produto em reais = R$ 4543,75 (considerando US$ 1 = R$ 1,96 pela cotação de 6 de junho)

Ainda é mais barato que o mais barato MacBook fora de linha nas revendas brasileiras!

Lembro que este exemplo considera frete e seguro sugeridos, que podem variar conforme o país de onde se importa o produto, bem como do vendedor. Mesmo nesta hipótese, o custo final é inferior ao praticado pelas revendas no Brasil.

Esta é uma forma de driblar os salgados preços praticados pela Apple no Brasil e de comprarmos os produtos que tanto desejamos de forma legal e segura!

Ao menos dentro da nova estratégia da Apple Brasil, as revendas poderiam — e deveriam — capacitar-se para prestar serviço de suporte técnico autorizado com profissionais credenciados e peças de reposição em estoque satisfatório, deixando de ser apenas “lojinhas” que vendem produtos Apple, em sua maioria iPods!

Temos que valorizar o Mac e todas as suas soluções para nosso lazer e trabalho, ele que é infinitamente superior a qualquer outra plataforma.

Sei que não precisamos gritar aos quatro ventos o quanto gostamos de nossos Macs mini, MacBooks, MacBooks Pro, iMacs e Macs Pro, mas, com meios mais baratos de comprar de modo legal e seguro o que tanto gostamos, podemos sorrir diante de qualquer outro usuário de outras plataformas e dizer: “Hi, I’m a Mac”!

Jorge Alberto Neves, 42, é carioca da capital e advogado especializado em direito internacional e imobiliário, com escritório no Rio e em São Paulo. Usa Mac no dia-a-dia desde 1995 para trabalho e lazer. Como bom roqueiro, gosta de escutar músicas em seu iPod e assistir sua coleção de vídeos musicais em seu MacBook. Pensa em comprar um Apple TV.

Bookmark and Share
 

Fuja do lugar comum: venha para o AppleMania!

 

59 comentários para “ESPECIAL: vantagens da importação direta de produtos Apple”
  1. Filipe disse:

    No primeiro caso, ao comprar na loja tem a taxa que se paga nos EUA (que na Califórnia é por volta de 9%), que daria um acréscimo de mais uns 100 dólares.

  2. Muito legal e importante esse artigo. As pessoas precisam ser informadas da melhor forma de comprar um Mac no Brasil.

    Eu estou no segundo, nenhum comprado através da Apple Brasil. Eles boicotam a gente nós boicotamos eles. Quando eles nos prestigiarem nos iremos prestigiá-los. É simples!

    Fora as duas formas citadas temos ainda importadores que estão nos fóruns vendendo a preços muito competitivos e inclusive com nota fiscal.

  3. Eduardo disse:

    Se não me engano, a taxa paga no momento da compra, pode ser abatida ao deixar o país, já que se trata de impostos locais…

    Apoio a importação direta pelo usuário e desejo muito que Apple BR tenha alguém pelos fóruns lendo o que nós pensamos. Acho que não deve existir nenhum case na história que demonstre uma empresa que ignora o seus consumidores…

  4. Danilo disse:

    Muito massa esse artigo. Só queria que me confirmasse se realmente o imposto é pago abatendo os $500,00 da cota de isenção.

    Outra coisa, que taxa extra é essa que se paga quando compra o produto nos EUA? u sei que na Europa vc paga o IVA mas inclusive no site da apple da espanha por exemplo, o IVA já vem incluido no valor

  5. Jorge Alberto disse:

    Olá, Danilo!

    O abatimento da cota de US$ 500.00 é feito na importação em viagem (bagagem acompanhada).

    Desta forma, o imposto é calculado sobre o valor que exceder a cota de isenção de US$ 500.00 e não sobre o valor cheio do produto, ok?

    No caso da importação por encomenda postal, o imposto é pago sobre o valor do produto mais o frete e o seguro; não há cota de isenção para importação postal!

    Espero que tenha ajudado!

    Abs!

  6. Paulo disse:

    Muito bom o artigo. Mas uma observação. A Amazon não envia computadores para o Brasil.

  7. Jorge Alberto disse:

    Olá, Paulo!

    Realmente, a Amazon não envia computadores para o Brasil, apenas livros, CDs e outros artigos.

    Há essa ressalva no artigo sobre isso, e a Amazon foi usada, apenas, como exemplo de site de compras no exterior.

    Fico feliz por ter gostado do artigo! Espero que possa esclarecer muitas dúvidas daqueles que desejam importar algum produto Apple, diretamente!

    Abraços!

  8. Tecno disse:

    é um absurdo esse artigo, quer dizer que podemos comprar fora e Apple BR que se vire para montar a tão sonhada Apple Store!

    E as autorizadas, legal, engraçado que vejo um monte de anuncio delas aqui neste canal que se diz AppleMania mas está mostrando como não comprar aqui com elas!

    Que coisa, isso pra mim é falta de ética, pensei que esse site me traria conhecimento e noticias sobre a plataforma e não como driblar seu fabricante!
    Isso é um absurdo!
    Depois dizem: O Brasi não vai pra frente!
    Lógico, todo mundo quer dar seu jeito, e agora estão ensinando até como não trazer recursos para o pais!

    Lamentavel!

  9. Zumbi dos Palmares disse:

    Tecno, você certamente é dono de alguma revenda ou está defendendo os interesses de uma, certo?

    Sim, pois, se não é, onde está a lógica de optar por voluntariamente pagar mais caro em algo que pode sair mais barato sem incorrer em nenhuma ilegalidade, pagando impostos e tudo mais?

    Meu bolso não me permite o altruísmo de sustentar o esquema de lucros da Apple Brasil. Então, se posso importar legalmente e se essa importação sai mais barato para mim, é óbvio que vou importar!

    Aliás, meu MacBook Core 2 Duo novo já está encomendado! Quando chegar, vou pensar no país o suficiente para voluntariamente pagar os impostos devidos. Não vou contrabandear nada. Será tudo absolutamente legal.

    Adorei este artigo porque me ensinou que não preciso sustentar atravessadores. Não é minha culpa se a Apple Brasil é tão incompetente a ponto de não pensar em alternativas para baratear o preço dos produtos no Brasil e torná-los mais populares. O caminho da importação direta é prova de que esse caminho existe.

  10. Jorge Alberto disse:

    Em primeiro lugar, muito obrigado por suas palavras, Zumbi! Seu comentário mostra que conseguiu compreender o espírito do artigo.

    Em segundo lugar, Tecno, devo esclarecer que não é meu objetivo ensinar técnicas para ludibriar autoridades ou para lesar meu país. Na verdade, acho que você deveria medir suas palavras, pois você está lidando com um advogado e a depender do que se fala, guardados os limites da liberdade de expressão, há certas sanções legais penais e cíveis indenizatórias para acusações infundadas… Por favor, tome minhas palavras como um conselho profissional, de um amigo, para os seus próximos “posts”…

    Embora estejamos em um país livre, que permite a liberdade de expressão e tantas outras garantias individuais, penso eu, baseado em seu “post” que você nos acha uns delinqüentes, que não respeitam a ordem legal, criando meios e “tranbiques” para burlar a Lei… Em minha consciência profissional, vejo que nada ensinei, até mesmo como professor de Direito, como sou, nada ilegal.

    Caso queira discutir a legalidade dos pontos apresentados no artigo, convido-o a visitar o site da Receita Federal e dos Correios, onde todas as informações publicadas poderão ser confirmadas… tudo está baseado em regras claras e normatizadas pelo próprio Governo Federal.

    Em nenhum momento, nosso intuito é o de lesar alguem; pelo contrário, queremos ter melhor acesso aos produtos que tanto gostamos! Não acho que o conteúdo do artigo seja imoral ou antiético. Os próprios revendedores poderão se beneficiar da informação aqui postada, guardadas as ressalvas legais para a importação para comercialização, um pouco diferente da aqui apresentada, mas sobre as quais terei o enorme prazer de assessorar.

    Gostaria que compreendesse que como colaborador do site, não posso permitir que ataques totalmente infundados o atinjam, principalmente, aqueles emanados de premissas equivocadas, como o seu.

    Façamos todos bons negócios, e aproveitemos todo o benefício que a vida digital na plataforma Apple pode nos proporcionar.

    Abraços!

    • Isso me faz lembrar de um acontecido no Brasil há anos atrás. Um certo presidente do Brasil andando pelas ruas da Cidade todo imponente, seu motorista comenteu uma infração e o guarda ali perto vendo aquele mal-feito pediu que o motorista parasse o carro, no banco de trás sentado estava um cavalheiro a ler seu jornal ignorando tudo ao seu redor. O guarda pediu gentilmente que o motorista decesse do carro e motrasse seus documentos, em especial a carta de motorista. Falou da infração de trânsito que ele cometera e que por isso seria multado. O motorista todo altivo pediu que guardasse um instante, e comunicou ao presidente o que estava acontecendo. Este jogou o jornal para o lado saiu lentamnete pela porta que fora aberta pelo motorista, pediu que fosse inteirado do que estava acontecendo. o motorista relatou minuciosamente, enquanto o guardo se mantinha impassivo à parte. Tendo tomado conhecimento de tudo o Presidente chamou o guarda e perguntou: -O Sr está multando o meu motorista? – Pelo que o guarda retrucou: -Sim Sr. ele cometeu uma infração e terá de ser multado. -OSr sabe com quem está falando, guarda? – Não Sr. – Respondeu o guarda. – Eu sou o Presidente do Brasil. O guarda se manteve impassivo, olhar firme, o que demonstrava sua decisão, e respondeu: -Muito prazer, Excelência, e aqui está a multa pela infração…

  11. Glauber disse:

    Gostaria de tirar uma dúvida. Estive na RF há um mês e me informaram se quem esta te enviando o produto for uma loja então o teto de compra é de 10 dolares, se quem esta te enviando o produto for uma pessoa então o teto de compra é de 50 dolares. Quando digo teto me refiro ao valor máximo (produto + frete) isento de tributação. É isso mesmo?
    Mais uma dúvida, se uma pessoa compra algo e me envia como presente, ou seja, envia somente o produto sem nota fiscal/recibo junto com a mercadoria visto que é um presente e não uma compra minha, ainda assim eu devo pagar imposto? Como provar para a RF que eu não comprei que é um presente de um parente?
    Obrigado pelas explanações.

  12. Jorge Alberto disse:

    Olá, Glauber!

    A alíquota comum para a importação por encomenda postal é de 60% sobre o valor resultante do somatório do produto mais o frete e o seguro. A isenção que você menciona, ao meu ver, não se aplica a eletrônicos; terei de verificar e retornarei com uma resposta mais precisa, ok?

    Livros e publicações em geral são isentos de imposto e os softwares, independente de valor, são tributados em 60%, sempre.

    No caso de presentes, não há valor de produto, porém a Aduana vai arbitrar um valor para o mesmo, baseado em parâmetros de mercado, a fim de realizar o lançamento do imposto de importação.

    O site da Receita Federal possui um roteiro de importação sob o título “encomenda postal”, penso que seria interessante você dar uma lida neste texto, inclusive com link para as regras e leis aplicáveis ao caso.

    Permaneço à disposição para qualquer outro esclarecimento que se fizer necessário! Espero ter esclarecido as suas dúvidas.

    Abs!

  13. tecno disse:

    Não defendo nehuma autorizada, digo pelo site permitir assuntos que não vejo nenhum problema em serem discutidos mas o fato Zumbi, não quero bancar a Apple, veja bem!
    Já fui um pequeno empresário e o que sempre vi foi pessoas burlando a lei para se livrarem de impostos, não digo que concordo com o governo em cobrar tantos impostos mas quero ser um BRASILEIRO RESPEITADO!
    Não que vc ou eu ou alguém tenha sido desrespeitado entre nós, mas diante de outros nações!
    Eu falo pelo pais e pelo frum que deve se preocuprar em passar coisas sobre a plataforma e não sobre alfandega brasileira.

    continuo depois!

  14. Mateus disse:

    Eu apesar de não ser usuário Mac, fiz uma procura no google em vim para aqui. Estava querendo importar um teclado controlador da M-audio. Achei esse link para explicar como funciona as compras pela internet através de Encomenda internacional.
    http://www.receita.fazenda.gov.br/aduana/rts.htm

    Apesar de ter lido, ainda acho um absurdo eu ter que pagar 60% de imposto já que o imposto de importação do meu teclado pela TEC (tarifa externa comum) seja apenas de 10%.

    Gostaria de saber do prezado Jorge Alberto Neves como faço uma importação usando a TEC ???

  15. Jorge Alberto disse:

    Olá, Mateus!

    Em primeiro lugar, agradeço, muito, pela sua visita ao meu artigo… e, em segundo lugar, fico feliz que o assunto possua link no Google!

    Com relação à sua dúvida, a TEC é utilizada em casos de importação comercial, realizada por importadoras; no caso da pessoa física, adquirindo o bem por encomenda internacional, estará sujeita à alíqüota de 60%.

    E, Direito Tributário, dizemos que os “fatos geradores”, são diferentes, logo o “lançamento” do imposto… por isso as alíqüotas são diferentes, ok?

    Infelizmente, a pessoa física sempre paga mais imposto neste país…

    Espero que tenha esclarecido a sua dúvida e seja bem vindo ao AppleMania… quem sabe não teremos você em futuro próximo como Mac user?

    Abraços!

  16. Jorge Alberto disse:

    Olá, Tecno!

    Acho que você não compreendeu o espírito do artigo… aqui discutimos uma maneira LEGAL e LEGITIMA, segundo as regras da Receita Federal e as Normas de Direito Tributário, de adquirir produtos Apple, diretamente dos EUA, pagando todos os impostos e demais tributos incidentes ao caso…

    Entendo a posição do empresário brasileiro, massacrado por uma carga tributária sufocante… eu também sou empresário, seja em meu escritório de advocacia no Rio, seja na empresa da qual sou sócio, em Sampa…

    Porém, se eu tenho um meio de adquirir bens e produtos de forma legal e mais barata do que a comercializada no país, com toda a garantia e cobertura do fabricante, a nível mundial, eu vou comprar!

    Na verdade, Tecno, estamos falando de produtos Apple… por isso este artigo foi escrito, ou seja, para que mais barato comprarmos os produtos que tanto amamos; veja os exemplos que colocamos no artigo… não estamos fazendo nada errado!

    Mas, se mesmo assim, você mantiver sua posição, eu a respeito com base no seu direito a livre opinião e manifestação, na mesma medida que lhe peço que não afirme, nem aqui e nem em outro lugar, que estamos desrespeitando as leis do país.

    Abraços!

  17. Rafael disse:

    Olá, Jorge Aberto!

    Primeiramente, parabéns pela iniciativa! Em breve mais pessoas entrarão para a comunidade de usuários Mac.

    “Segundamente”, gostaria de comprar diretamente da Apple Store o adaptador Mini DVI to DVI para usar em meu MacBook, porém o cadastro do site só permite informar o país US.

    Qual a solução? Comprar pelo e-Bay e seguir o procedimento descrito em ‘Encomenda Internacional’ no seu primeiro post?

    Obrigado.

    Abraços!

  18. Jorge Alberto disse:

    Olá, Rafael!

    Você poderá seguir o roteiro da encomenda internacional, adquirindo o produto pelo eBay, sem problemas. Se você pedir para ser remetido pelo correio oficial americano (USPS), sua encomenda chegará na agência de correio mais próxima de sua casa.

    A agência enviará uma comunicação a você informando da chegada do produto e, pelo valor (inferior a USD 500.00), você pagará o imposto de importação na própria agência dos correios, com um DARF próprio que eles fornecerão, no ato.

    Muito obrigado pelos elogios; estou aqui para ajudar!

    Abraços!

  19. Rafael disse:

    Jorge,

    Obrigado pela atenção e rapidez na resposta!!

    Interessante poder pagar o imposto de importação diretamente na agência dos Correios.

    Agora uma última dúvida quanto a tributos: você saberia informar se nos produtos importados há incidência de PIS, COFINS, IPI ou ICMS? Estive a ler o link postado pelo colega Mateus (http://www.receita.fazenda.gov.br/aduana/rts.htm) mas não pude encontrar respostas para tal pergunta.

    Desde já muito obrigado,

    Abraços!

  20. Glauber Lima disse:

    Olá amigos. Jorge perdoe-me pela demora em responder.
    Estou com um fato interessante para narrar.
    Comprei um IPOD no Ebay. Paguei 220 dolares. O Remetente me enviou na caixa e por fora colou uma cópia da nota. O correio recebeu e a alfandega me enviou a cobrança dos 60% sobre o protudo + frete, paguei, recebi, fui pra casa.
    Uma semana depois comprei um roteador caseiro para rede sem fio, linksys. Paguei 55 dolares. O remente me enviou na caixa mas não enviou nenhuma nota ou papel que informasse o valor do bem. (Vacilo dele mas tudo bem.) O correio recebeu e a alfandega me enviou a cobrança dos 60% sobre o produto + frete, mas a receita me enviou uma cobrança como se o bem custasse 300 dolares. (Diga-se de passagem que esse roteador custa de 250 a 300 reais no shoppings da cidade.) Fui lá e expliquei para o fiscal. Ele abriu o lacre/caixa/envelope/pacote, e vimos que pregado na caixa do produto havia a etiqueta da loja com 139 dolares. Esse foi o preço que a pessoa pagou quando comprou o produto. E como não usava colocou para vender na modalidade de leilão. Paguei exatos 55 dolares pelo lance que dei no leilão. Levei até o fiscal a cópia autenticada em cartório da página do produto, levei a cópia autenticada em cartório de diversos outros produtos iguais, no mesmo site, de preços semelhantes, entre 30 e 60 dolares, levei o extrato do meu cartão de crédito com o valor pago pelo bem. No final o fiscal me disse que eu deveria pagar 60% em cima de 169dolares (produto139+frete30) do contrário não levava o bem. Que eu tenho de pagar o valor do bem aqui no Brasil e bla bla bla…
    Terminei pagando o que ele estava me cobrando mesmo eu mostrando que não paguei aquilo. Abri uma ocorrência na Ouvidoria da Receita mas até hoje (dois meses depois) nada foi feito.
    E agora? Pagamos o que o fiscal quiser mesmo eu mostrando o que efetivamente paguei? Quero comprar um capacete nos EU mas se for assim eu desisto pq lá custa 150 dolares mas aqui no brasil custa mais de mil reais.
    Grande abraço.

  21. Jorge Alberto disse:

    Olá, Glauber!

    A confusão no seu caso se deve ao fato de que não houve valor declarado na postagem; daí, aplicaram o valor de um produto similar, no mercado Brasileiro, como manda a Lei.

    Se não houvesse nota fiscal no interior da caixa, no valor de USD 169.00, e sim um recibo no valor dos USD55.00 que você efetivamente pagou, ou melhor ainda, se ele tivesse declarado este valor na postagem, você não teria problema algum.

    O que você deve fazer é orientar a pessoa que irá postar o produto para você de declarar o valor efetivamente pago por você.

    Com relação ao imposto lançado no seu caso, sobre os USD169.00, o mesmo foi feito de forma errada, já que você demonstrou ao fiscal o valor efetivamente pago. Infelizmente, estes procedimentos são demorados, mas tenho certeza de que, buscando as informações e o andamento do sua reclamação, lhe darão uma posição favorável, em breve! Você vai precisar insistir um pouco com a Ouvidoria…!

    Assim, com a declaração do valor postado e com o recibo do que efetivamente foi pago, assinado pelo vendedor do produto, você estará garantido de pagar o imposto sobre o montante correto, sem correr o risco de passar por mais uma confusão do tipo que passou nos Correios.

    Espero ter esclarecido a sua dúvida…!

    Abraços!!!

  22. Glauber Lima disse:

    Olá Jorge.
    Mas o rapaz declarou o valor do bem ao enviar para mim. Ele não enviou a nota fiscal da compra que ele fez. Nem tampouco se deu ao trabalho de imprimir a pagina da web com o produto e seu valor, mas ao postar ele declarou o valor do bem.
    O ensinamento que tirei foi (conforme foi citado por você) o de sempre pedir para a pessoa enviar algum documento com o valor do bem em anexo. Pode ser até mesmo o documento dos próprios correios dos EUA.
    Vou voltar a tentar fazer contato com a Ouvidoria.
    Muito obrigado pela sua ajuda.
    Grande abraço.

  23. Pedro Mattos disse:

    Caríssimo Jorge Alberto,

    Gostaria, primeiramente, de parabenizá-lo pelo enorme sucesso deste magnífico artigo, que foi facilmente localizado pelo google. Realmente, este é um dos pouquíssimos artigos que descrevem com clareza, coesão e coerência, os passos e o funcionamento de uma importação, diga-se de passagem, tratada neste site, de uma forma totalmente legal, de um produto estrangeiro, para o nosso país. Entretanto, apesar da amplitude tratada, magnificamente, por você, neste texto, venho lhe pedir que esclareça algumas dúvidas que possuo.

    Primeiramente, gostaria de saber, desconsiderando os produtos Apple, quais sites possuem este tipo de importação via Correios, Fedex, etc.

    Em seguida, desejaria saber, se, seguindo o meu interesse na compra do console portátil da SONY(PSP), em sites do exterior, valeria a pena efetuar a compra e importação nos mesmos.

    Como de costume, tenho absoluta certeza de que me respoderá, rapidamente.

    Muito Obrigado,

    Pedro Mattos

  24. Jorge Alberto disse:

    Olá, Pedro!

    Muito obrigado pelos elogios ao artigo, fico muito contente que a informação que disponibilizamos, aqui no AppleMania, seja de grande utilidade a todos, como você diz em seu post.

    Com relação às suas dúvidas, tenho a esclarecer que todos os sites de venda de produtos online possuem a modalidade de remessa postal. O que irá depender de um site para outro é o fato do mesmo fazer remessas para o exterior (fora dos EUA, por exemplo) e os produtos que poderão sofrer esta restrição de remessa postal.

    Com relação à sua compra do PSP, bem como de qualquer outro produto, aconselho que o faça diretamente, por importação com remessa postal, pagando os impostos no Brasil. Pode ser que o site exija o pagamento do valor do imposto, antecipado e que, assim, a empresa de courier expresso se encarrega do desembaraço aduaneiro… não é sempre que encontramos esta opção, mas caso isso ocorra com você, não estranhe, por favor.

    Lembre-se, sempre que as regras de desembaraço aduaneiro que menciono no artigo valem para as remessas de mercadoria por via postal oficial, no caso, do US Post, nos EUA, para os Correios, no Brasil. As empresas de courier, como já disse acima, podem se encarregar, diretamente do desembaraço…

    Agora, particularmente, com relação à compra do PSP, espere um pouquinho porque a Sony irá disponibilizar uma versão nova do portátil, se não me engano, agora em Setembro… o preço é de cerca de USD 170.00 e virá com algumas melhorias com relação à versão atualmente comercializada… Mas isso, eu te digo em off… aqui só tratamos de produtos Apple… rsrsrs!!!

    Espero ter esclarecido as suas dúvidas!!!

    Abraços!!!

  25. Dea disse:

    Olá Jorge Alberto,

    Adorei seu artigo, pois é muito esclarecedor.
    A minh apergunta é: quanto tempo leva pra um Mac Book Pro chegar em minhas mãos? A burocracia é muito grande?
    Quais os passos que devo seguir pra conseguir comprar um Mac Book Pro lá fora?

    Obrigada!

  26. Dea disse:

    Oi, outra pergunta: e se a mercadoria custar mais do que U$ 3.000,00?

  27. Caro Jorge Alberto,
    Seu artigo é simplesmente perfeito, claro e objetivo.

    Você indicaria algum site de loja nos EUA onde possa comprar e importat com segurança artigos da Apple?

    desde já agradeço pela grande ajuda.

  28. Jorge Alberto disse:

    Olá, Dea!

    Pelo o que entendi da sua pergunta, você viajará ao estrangeiro e comprará o MBP, é isso?

    Se for este o caso, você deve comprar o MBP, diretamente, em qualquer loja que o venda, diretamente, solicitando uma “nota fiscal” ou um comprovante da compra, para apresentar junto à declaração simplificada de importação, quando chegar ao Brasil.

    Se eu me enganei, e você quer encomendar um produto, por via postal, você deverá solicitar a remessa do produto pelo correio oficial, para que você seja notificada pelo correio brasileiro, para pagar o DARF do imposto de importação e desembaraçar o seu MBP, levando-o para casa, na hora em que apresentar o DARF pago.

    Para os casos em que o produto é superior a USD 3,000.00, você deverá procurar um importador, que se encarregará da compra, do frete, do desembaraço e lhe entregará o produto, oficializado e legalmente, em mãos, de acordo ao que você contratar com o mesmo.

    Muito obrigado pelo post! Fico feliz que o artigo tenha lhe sido útil!!!

    Abraços!!!

  29. Jorge Alberto disse:

    Olá, Dea!

    Complementando a minha resposta anterior…

    Nos casos em que o site onde você compra o bem remeter o produto via correio expresso (FedEx, DHL, etc…), geralmente, estas empresas solicitam que você adiante a quantia do imposto, e eles se encarregam do pagamento e do desembaraço aduaneiro…

    Há casos, pelo menos em Brasília, quando morei lá, da empresa deixar o produto no aeroporto, na Aduana, e esta notificar o comprador para pagar o imposto e pegar o produto, no seu caso, o MBP.

    Espero que tenha lhe ajudado!

    Abraços!!!

  30. Jorge Alberto disse:

    Olá, Vinícius!

    Mil desculpas, mas não há nenhum site específico que eu possa lhe indicar. Uma boa busca pela internet lhe dará ótimas opções e, no caso de você ter algum amigo morando em um país onde a Apple Store Online esteja disponível, você poderá combinar com ele a compra e a remessa por via postal…

    Esta é uma excelente opção, pois você estará comprando, embora através de um amigo, diretamente da Apple… peça somente para que ele te envie a nota fiscal da compra e um recibo, em português de que recebeu o valor do produto de você… assim, mesmo que a compra tenha sido feita no nome dele, nos EUA, por exemplo, o produto será seu, pois a propriedade terá sido transmitida pelo recibo e pela remessa do computador a você.

    Não se esqueça de guardar todos estes documentos, pois eles comprovam a propriedade do bem, no seu nome.

    Muito obrigado pelos elogios ao meu artigo! Espero ter podido lhe ajudar!!!

    Abração!!!

  31. Jorge Alberto disse:

    Olá, Dea!

    Ainda, respondendo à sua pergunta…

    O tempo necessário para um MBP chegar, varia muito do país de origem e da empresa encarregada da remessa, seja o correio oficial, ou uma empresa de courier expresso, como a FedEx, a DHL e outras…

    Os produtos comprados na Apple Store Online, nos EUA, por exemplo, possuem frete gratis e chegam, na maioria dos casos, em 01 dia útil, dentro do território americano… para que a remessa seja feita ao Brasil, em correio expresso e dependendo da modalidade contratada, pode chegar, até mesmo em 24 ou 48 horas, da data da remessa…

    Verifique os sites destas empresas de courier expresso e veja qual modalidade se aplica melhor a você, ok?

    Abração!!!!

  32. Ivo disse:

    Jorge,

    Como ficaria no caso de eu comprar esse produto via distribuidor autorizado no paraguay (BigManzana.com) pagando os devidos impostos? Não sairia mais barato?

    Abraço.

  33. Glauber Lima disse:

    Procurando na internet achei o site http://www.rltrading.net/ e após conversar com eles obtive a informação que eles também trazem para o Brasil produtos comprados em outras lojas. Por exemplo pode-se comprar um PS3 no Ebay e pedir para ser entregue no endereço deles que eles trazem para o Brasil.
    Grande abraço.

  34. Pedro Mattos disse:

    Olá. Gostaria de agradecer por ter feito esta página realmente com muita dedicação e que, diga-se de passagem, está genial, excelente!.
    Gostaria, porém, que você resolvesse algumas dúvidas que eu tenho:
    Primeiramente, tenho intuito de comprar um PSP no Ebay. Entretanto, se for taxado, pagarei mais caro do que se comprar no Brasil, um verdadeiro absurdo! Mas fiquei pensando…. e se pedir para que o vendedor envie como pessoa física e declare um valor inferior a US$50,00(VALOR ORIGINAL POR VOLTA DOS US$140,00). Como devo proceder?
    Ao fazer isso corro risco de pagar impostos?
    Se o meu produto for extraviado, pagarei apenas o valor declarado?
    Muito Obrigado,
    Pedro Mattos.

  35. Jorge Alberto disse:

    Olá, Glauber!

    Verifiquei o site que você indicou e me pareceu muito bom… porém, os preços não são tãaaaao atrativos, assim…!

    De qualquer modo, é uma boa dica!

    Abraços!!!

  36. Jorge Alberto disse:

    Olá, Pedro!

    Muito obrigado pelos elogios! Elaboramos este artigo como um meio de proporcionar ao Macuser ou àqueles que desejam ingressar no mundo Mac, um meio legal e formal de adquirir os seus produtos preferidos!

    Infelizmente, o procedimento que você propõe no seu post não é legal… rs! Declarar valores inferiores ao real é uma forma de sonegar impostos… e, eu não posso auxiliá-lo neste aspecto… espero que me compreenda!

    Abraços!!!

  37. Pedro Henrique disse:

    Jorge, parabéns pelo artigo, sem dúvida este tipo de informação deveria ser mais divulgada para quem gostaria de adquirir produtos, cujos não estão a venda aqui no Brasil, ou que seus preços sejam absurdamente elevados pelos revendedores locais.

    Gostaria de saber como funciona a legislação para importação( via correio ou transportadora aérea) para fins comerciais. Isto é, pagando todos os devidos impostos para a nacionalização e comercialização do produto.

    Conto com uma resposta, um abraço!

  38. Yeltsin Lima disse:

    Primeiramente gostaria de dizer que essa notícia foi de tremenda ajuda, e além disso postei no meu blog: http://yeyelima.blogspot.com/2007/10/e-melhor-comprar-aqui-ou-no-exterior.html

    Em segundo lugar, gostaria de retirar uma dúvida:
    Vou comprar um iPod Touch pelos correios, o preço dele é 299 dólares. Quanto você acredita que sairia ele? Com todos os impostos, frete (estimado) e seguro incluso.

    Simplesmente eu não sei fazer o cálculo… Coloquei lá no blog 1.100 reais, mas acho que deve ser mais, não é?

  39. Yeltsin Lima disse:

    Olá,

    desculpe enviar novamente, mas fiquei em dúvida nisso:

    Podemos utilizar essa forma de importação quando um parente ou amigo residente no exterior adquirir o produto em nosso nome ou no nome próprio e remetê-lo ao Brasil. Neste caso, há um limite para o valor do produto adquirido, que é de US$ 3 mil.

    Como é feito? Tenho um irmão que mora nos Estados Unidos. Ele pode comprar e enviar pra mim? Mesmo com tudo legalizado, o produto pode NÃO chegar? E, se isso acontecer o que eu posso fazer?

    Obrigado.

  40. Sandra Itis disse:

    Parabens pelo artigo.
    Vou divulgar para todos que puder.
    Gostaria de uma informação – Tenho um empresa e pretendo importar algumas unidades de um produto de tecnologia cujo custo total sera de US$ 2300,00 (dois mil e trezentos dólares), incluindo o frete. Minha empresa não tem radar. Qual a melhor maneira de importar?
    Agradeceria muito sua resposta.

  41. Alexandre disse:

    Gostaria de saber como funciona a legislação para importação( via correio) para fins comerciais. Isto é, pagando todos os devidos impostos para a nacionalização e comercialização do produto.

    Conto com uma resposta

  42. Jorge Alberto disse:

    Olá, Pessoal!

    Em primeiro lugar, mil desculpas pela demora, mas essa minha vida de advogado está bem agitada, no momento…

    Bem, meus amigos, vamos às respostas às últimas perguntas postadas, pela ordem:

    1. Pedro Henrique

    A importação para fins comerciais não pode seguir o procedimento simplificado que menciono no artigo. Você deverá realiza-la através de uma importadora credenciada e passar pelo desembaraço alfandegário normal.

    Infelizmente, não disponho das alíquotas aplcáveis neste caso, mas garanto que você poderá encontrá-las no site da Receita Federal, no tópico sobre importação comercial.

    Não haverá limites de valores, e você poderá contratar a importadora para gerenciar toda a sua operação, incluindo a contratação de frete, seguro, taxas de desembaraço e tudo o mais.

    Espero que tenha ajudado!

    Obrigado pelos elogios e um forte abraço!

    2. Yeltsin Lima

    Muito obrigado pelos elogios e por ter colocado o nosso artigo em seu blog! Fico muito feliz em saber que estou sendo útil a todos aqueles que amam os produtos Apple.

    Com relação à sua pergunta, a resposta é simples: caso você compre o produto e o mesmo lhe seja enviado por encomenda postal, você deverá pegar o preço pago (no caso, USD 299.00), mais o valor do frete e do seguro. Depois tomar este resultado e acrescentar 60%. Pronto, você terá o preço final.

    Um exemplo: 299.00 + 30.00 (frete) + 30.00 (seguro) = 359.00 + 60% =
    = USD 574,40 x 1.83 = R$1.051,51

    Os valores que arbitrei para frete e seguro são uma suposição, com base em casos semelhantes, ok?

    Com relação ao limite de USD3,000.00, não há como fugir; o mesmo consta das regras da Receita Federal.

    Seu parente ou amigo podem comprar em seu nome ou em nome próprio e enviar para você pelo correio normal (USPS), para que a mercadoria chegue aqui, na agência dos Correios. A própria agência lhe notificará para pagar o imposto e retirar a mercadoria.

    Para produtos acima deste valor, o procedimento é outro e necessita de desembaraço alfandegário… infelizmente!

    Com relação ao produto chegar ou não, é só efetuar a remessa registrada, para, assim, rasteá-la até o seu destino.

    Espero que tenha ajudado!

    Abraços!!!

  43. Jorge Alberto disse:

    Olá, Pessoal…!

    Vamos a mais algumas explicações e respostas às perguntas, postadas aqui no AppleMania:

    1. Sandra Itis

    Olá, Querida! Fico muito feliz que meu artigo tenha lhe sido útil!

    Com relação à sua pergunta, você poderá utilizar o procedimento da remessa postal para importações eventuais, no limite de USD 3,000.00 por importação. O problema é que, como já expliquei acima, este procedimento não se aplica a importação para fins comerciais, infelizmente.

    O procedimento deverá ser o padrão, com contratação de uma importadora.

    Caso você obtenha o registro como importadora, poderá importar, por exemplo, produtos da Apple, diretamente de lojas baseadas nos EUA, ou em outros países onde a compra for mais vantajosa, conseguindo um bom lucro com isso, porém, nunca utilizando os procedimentos explanados no artigo, pois os mesmos somente se aplicam às pessoas físicas!

    Espero ter esclarecido sua dúvida!

    Abraços!!!

  44. Jorge Alberto disse:

    Olá, Alexandre!

    Mil desculpas pela demora na minha resposta, mas como já disse anteriormente, a vida profissional, graças aos deuses, vai muito bem e agitada!!!

    Como já expliquei, o procedimento que expus em meu artigo se aplica às pessoas físicas, para fins não comerciais. As importações para fim mercantil devem obedecer o rito normal, com guias de importação, desembaraço e a intermediação de uma importadora, a qual se encarregará de todos os passos e formalidades da importação, inclusive o desembaraço…

    Sinto muito por não poder ajudá-lo como gostaria, mas a legislação é em restrita neste assunto!

    Muito obrigado por ter visitado e comentado o meu artigo!

    Abraços!!!!

  45. Alexandre disse:

    Olá,Jorge!
    Na verdade pode-se importar pelo correio para revenda pelo importa fácil pessoa jurídica dos correios mas tera q pagar R$ 150.00 pelo desembaraço e os 60% + icms do estado para onde for a mercadoria.
    Resta saber se o preço final vai valer a pena.
    Olha o link – http://www.correios.com.br/importaFacil/

  46. Jorge Alberto disse:

    Olá, Alexandre!

    Os procedimentos são diferentes com a necessidade do preenchimento da Declaração de Importação (DI), o pagamento do desembaraço e a cobrança do ICMS além do imposto de importação…

    Eu conheço este procedimento, mas não vejo grande vantagem nele, pelo menos para o que nos propomos difundir neste artigo.

    Obrigado pela pesquisa e pelo interesse!

    Abraços!

  47. Andrey Roth disse:

    Cara, muito bom esse artigo, parabéns, faz muito tempo que procuro um artigo desses que nos explica passo-a-passo. tenho uma amiga que vem para o Brasil frequentemente, mas nunca pedi para ela trazer porque eu não sabia se tem de pagar os impostos lá ou aqui, em US$ ou em R$, Muito obrigado você acabou de deixar um macmaniaco muito feliz, vou pedir meu iMac já.

  48. Michel Lajner disse:

    Concordo com o Alexandre. Mesmo não sendo para fins comerciais, acima de US$ 500,00 ( como no exemplo ) tem que ser feita a dsi e o desmbaraço pelos correios. Para se ter uma idéia, já fiz este cálculo em compras recentes. Aqui, para SP, o ICMS é 18%. Só que este é cobrado sobre o produto já com os 60% de imposto. Portanto, na prática, se você quer saber quanto vai gastar com um produto acima de US$ 500,00 ( ou abaixo disso porém via ups, fedex…), basta acrescentar 88,8% aproximadamente + R$ 150,00 de taxa do correio ( importa fácil ). Com isso fica fácil ver se vale a pena ou não trazer algo de fora ( no exemplo citado não valeria ), isso sem falar na demora e risco de extravio…

    • Fernando disse:

      Olá, alguém já trouxe mercadoria pelo importa fácil como Pessoa Jurídica? A empresa que utiliza o Importa Fácil tem de ter o RADAR para importar?
      Como é emitida a DSI? É pelo RADAR da empresa ou pelo Correios?
      Eu tenho que cadastrar o despachante do correios no meu SISCOMEX?
      As despesa de importação assim como os impostos a serem recolhidos é baseado no código NCM de cada produto ou é um imposto geral de importação, igual acontece no courier, ou seja de 60%?
      Podemos dar entrada no nosso estoque fiscal e realizar a a venda dos produtos no Brasil com NF, trazendo pelo Importa fácil?
      Qual é a documentação que vocês exigem para fazer o desembaraço, além da Commercial Invoice e Packing List?
      Quais são as despesas que incidem na importação fora o despachante de R$ 150,00?
      Um abraço!

  49. Yeltsin Lima disse:

    Comprei um iPod Touch e os Correios não pediram impostos, na verdade nem fui pegar nos Correios eles entregaram na minha porta!

    Estranho…

  50. Cleber disse:

    Olá Jorge, concordo em partes nos questionamentos acima.
    Represento outra marca no pais, se todos importassem o fabricante / representante apenas fará a marca e não trazendo investimentos no pais, pelo que li e acompanho de Apple (tambem sou usuario) eles estão investindo e reduzindo encargos.
    Jorge e usuários, observe na nota fiscal do seu produto, não há destaque de IPI, quer dizer que este produto é nacionalizado pela Apple Brasil e repassado aos distribuidores (de nota em nota tem imposto), esta é a forma da Apple ou qualquer outra empresa ter controle dos seus produtos bem como os investimentos que podem ser feitos com base nos indices.
    Se houver um numero baixo de compras pela Apple Brasil as assistencias técnicas serão estintas bem como sua representação, isso ja aconteceu com outras marcas aqui no Brasil.

    Pense nisso…
    Abraço a todos.

  51. Jorge Alberto disse:

    Olá, Cleber!

    O que me interessa é poder comprar como quiser, principalmente, sem custos e spreads exorbitantes… sem contar o custo Brasil que, quando não são os encargos internos, são os impostos incidentes sobre a importação, como um subsídio para a indústria doméstica…

    No meu ponto de vista… quem deve vencer é o melhor, de forma justa e igual! Se o governo se propõe a ajudar, que melhore as condições do empresariado local, ao invés de penalizar quem produz bons produtos e, principalmente, nós, que queremos compra-los!

    Se a Apple Brasil possui uma política de margens de lucros irreal com relação ao poder aquisitivo do brasileiro e do mercado de informática nacional, deve ser penalizada, sim, para que desça de seu pedestal irreal, e se limite a ser o que é: uma representação de uma produtora/vendedora de computadores e produtos de mídia e telefonia, e não um local onde os usuários não possuem voz e são péssimamente atendidos!

    É só perguntar quanto tempo demorou para chegar a atualização do Leopard, no Brasil… e os novos lançamentos de iMac e de MB e MBP com relação à matriz, em Cupertino…

    Simples! Eu prefiro comprar na origem e poder ajudar a todos a faze-lo, dentro dos limites e das formalidades da Lei.

    Abraços!!!

  52. Cleber disse:

    Olá Jorge.

    Entendo seu ponto de vista, tambem sou consumidor.

    Mas se coloque do outro lado, do lado do fabricante não tanto pelo comerciante, qual é a vantagem de investir em logistica, funcionários (atendimento / fiscal / marketing….), pessoal qualificado (vendas / técnicos), pontos de assistencia tecnica no pais se não trará retorno com o gerado internamente, seria mais facil fechar as portas aqui e disponibilizar vendas online para o Brasil, deu defeito no produto manda pelo correio…

    A Apple Brasil esta melhorando e muito desde a saida do Dinho Martineli, produtos estão chegando mais em conta, mas estão, lançamentos chegam em menos tempo, isso não é exclusividade somente do Brasil, na Europa tambem acontece atrasos.

    Enfim, temos prós e contras, vai de cada um verificar se fale a pena importar correndo riscos de inumeros fatores por uma diferença de 8 a 40% dependendo da forma que importar.

  53. Jorge Alberto disse:

    Olá, Cleber!

    Concordo com você sobre as dificuldades que o empresariado brasileiro enfrenta com uma carga tributária insana… eu também sou empresário…

    Porém… não me agradam muito as atitudes da Apple/Br. Depois que concorrentes baixaram o preço do iMac, eles acompanharam; se o fizeram assim, e o mantiveram, por que então não arbitraram este preço desde o início?!? Por que não popularizar o acesso ao Mac e acabar com o mito de que ele é caro e elitista?!?

    É neste ponto que me pego… as margens de lucro elevada e a logística falha sempre foram os pontos fracos da Apple no Brasil…

    Na verdade, a Apple é uma empresa norte-americana, que produz e vende para os EUA… o resto do mundo vem sempre depois e só se tiverem uma margem maior do que conseguem internamente…

    Não me furto a pagar os tributos e realizar todo o procedimento de importação de forma legal; eu não o faria de outro modo! Se abrissem a Apple Store Online e a ITMS no Brasil, não precisaríamos mais de lojas, apenas de assistências técnicas… no fundo, seria bem melhor e barato!

    Não vi nenhuma das mudanças que anunciaram na mídia especializada, nenhuma Apple Store em São Paulo, nenhuma “nova política de preços”, nenhuma coisa boa… apenas o descredenciamento dos centros de treinamento certificadores da Apple… Nada de bom aconteceu… Eles recebem salário para não fazer nada pelo usuário!

    Entendo e respeito o seu ponto de vista, o qual é muito válido! Contudo, com respeito, particularmente à Apple Brasil, penso que eles não merecem ganhar nenhum tostão, pois nada fazem por nós!

    Abração!

  54. Leonardo Gandra disse:

    Caro Jorge Alberto.. adorei seu manual.. Sou DJ e somente uso NOTEBOOKs para trabalhar.. pretendo em uma viagem próxima trazer um macbook para mim. Agora o que gostaria de saber é o seguinte: parece que existe algum tipo de isenção para “material/equipamento de trabalho”.. Logo, será que seria possível para mim desfrutar desse benefício legal?

  55. Nivaldo Oliveira disse:

    Olá Jorge Alberto, li saboreando ao máximo seu artigo e as ponderações dos participantes, meus olhos chegam esta ardendo de tanto que grudei os olhos na tela a ponto de outros colegas de trabalho acharem que eu estava vendo site de mulher pelada he he he, brincadeiras a parte, quero parabeniza-lo pelo artigo e a fomentação dos participantes no blog.Seu artigo é totalmente relevante e vai de encontro ao desejo de todos que mesmos tendo algum recurso financeiro NÃO tem condições de viajar ao exterior para realizar seus sonhos de consumo ou necessidade básica.
    Agora mesmo estou com a seguinte situação;no site da Brando tem uma case de couro que eles vendem por 38 dolares com 3 dolares de sei o quê, aqui um vendedor do Mercado Livre está vendendo o mesmo produto por R$150+frete entre outras coisa, cheguei a ir até o ponto de fornecer os dados do meu cartão mas fiquei com medo e desisti, minha pergunta; será que corro o risco de NÃO receber a mercadoria e você poderia me informar qual o imposto, onde e quando eu pagaria se tivesse ido até o final da operação?Agradeço antecipamente o trabalho e agradecendo por ainda ter pessoas como você a nos ajudar orientando numa questão tão relevante.
    Um abraço

    Nivaldo
    Brasilia-DF

  56. Marcos disse:

    o outro lado história – o lado das revendas autorizadas:

    - Elas são obrigadas a vender os seus produtos através de um preço tabelado pela própria Apple Brasil (esse preço é divido de duas formas: Preço Minimo para a Venda; Preço Sugerido;)

    - Os distribuidores oficiais da Apple no exterior (EUA, Europa, Ásia etc.) estão PROIBIDOS de comercializar os seus produtos para empresas brasileiras. Com isso, a compra das revendas e lojas autorizadas só poderão ser feitas através dos distribuidores oficiais brasileiros, que estão devidamente credenciados na Apple Brasil.

    - A solução encontradas por alguns revendedores não oficiais das quais conheço, é importar o produto de uma revenda não oficial no EUA, que por sua vez adiquire o produto em um distribuidor oficial da Apple no EUA. Medida legal, pois a Apple não possui nenhum tipo de veiculação com essa revenda não oficial no EUA, que pode adquirir sem restrições os produtos da Apple junto aos distribuidores*.

    ————————————————
    *Só para esclarecer a Apple, isso em qualquer lugar do mundo, não obriga nenhuma revenda ou loja de informática a ser oficial para poder adquirir o seu produto junto aos distribuidores. Para os oficiais apenas são disponibilizados alguns beneficios, tais como descontos na tabela do distribuidor oficial (em média de 3% a 5%). Com isso, qualquer revendedor de informática cadastrado nos distribuidores: Tech Data, Officer e Ingram Micro Brasil; podem comprar Apple e até mesmo comercializar por um preço abaixo do autorizado – que é OBRIGADO a comercializar o produto conforme a tabela de preços da Apple Brasil. O que acaba própriamente deteriorando a credibilidade da marca junto aos revendedores e lojas autorizadas no Brasil.

    As políticas da Apple Brasil, já não são de hoje, sempre acabaram com o mercado das autorizadas no Brasil… Por isso que importar direto ou comprar por uma não autorizada (desde que essa traga o produto legalmente) sempre vai compensar mais…

  57. Rui disse:

    Alguém pode me dizer como fica a importação para máquinas que custam mais que US$ 3.000,00? Um Mac Pro, por exemplo.

  58.  

 

Copyright © 2007-2010 AppleMania.info. Todos os direitos reservados.
A correta visualização deste site requer navegador compatível com os mais elevados padrões da Internet e está assegurada com os navegadores
Apple Safari, Google Chrome, Mozilla Firefox, Mozilla SeaMonkey, KDE Konqueror e Opera em resolução mínima de 1024 x 768.
Get Adobe Flash player